Google se compromete a corrigir falha do Chrome que drena bateria de notebooks

Por Redação | 18 de Julho de 2014 às 15h05

O Google finalmente se pronunciou oficialmente sobre o recente relato da revista Forbes de um bug que afeta seu navegador, o Chrome, e que o faz consumir 25% mais bateria de notebooks rodando Windows.

A falha está relacionada ao "system clock tick rate", o tempo de atualização do clock do navegador que aparentemente está em descompasso com o do sistema operacional da Microsoft. Além de aumentar o consumo da bateria, o bug também parece deixar o computador mais lento que o normal.

Segundo o relato do site da Forbes, o problema acontece desde 2010, mas só nesta quinta-feira (17) a empresa de Mountain View resolveu vir a público comentá-lo. Ao site da PC World, a empresa confirmou a existência do bug e se comprometeu a corrigi-lo o mais rápido possível.

A descoberta da falha foi feita pela Microsoft e divulgada nesta semana. Como não poderia ser diferente, vários usuários se irritaram com o erro - considerado por muitos primordial - e prontamente deixaram de usar o navegador.

Os que demonstraram descontentamento com o caso disseram que iriam migrar definitivamente para o Opera, Firefox e, vejam só, o Internet Explorer. Uns foram mais adiante e disseram que passariam a usar apenas o Linux para continuar usando o software do Google. A versão do navegador para o sistema operacional de código aberto não sofre com o problema, exclusivo do Windows.

O Google ainda disse que a correção do intervalo de acesso ao processador dos notebooks está no topo das prioridades da equipe de desenvolvimento do Chrome. Agora só nos resta esperar pela correção da falha.

Leia mais sobre o Google Chrome:

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.