Spotify quer reforçar ligação com indústria musical e muda estratégia dos vídeos

Por Redação | 04 de Setembro de 2017 às 07h25

Todo mundo pensa no Spotify como uma plataforma de streaming de música, mas desde o ano passado a empresa vem pensando em estratégias para associar vídeos a essa imagem tradicional.

Depois de avaliações que davam conta de um posicionamento confuso do Spotify em relação aos vídeos, agora parece que há um movimento no corpo executivo da empresa que indica ações mais pontuais.

O chefe de parcerias de conteúdo, Tom Calderone, saiu o cargo no momento em que o Spotify repensa sua estratégia antes de lançar sua oferta pública de ações e vê a concorrência mais acirrada — a Apple, um dos principais rivais em música, planeja investir US$ 1 bilhão em conteúdo original.

Como justificativa, o Spotify diz que vai se concentrar em vídeos para suas playlists mais populares, como Rap Caviar e Rock This.

O Spotify havia contratado Calderone, ex-VH1, no ano passado para mudar a imagem normalmente associada à plataforma. Ele cuidava das operações de vídeo e podcast do serviço de streaming.

O trabalho de Calderone estava focado em trazer conteúdo original de produtores. Ele também supervisionou a criação de podcasts, uma área de crescente importância no maior serviço de música paga do mundo. 

Conexão com a indústria

Com a saída do executivo, o Spotify abre o planejamento para que o vídeo esteja intimamente ligado à sua principal estratégia musical, a fim de se manter conectado à indústria.

A mercado da publicidade e do entretenimento já haviam criticado os movimentos do serviço de streaming em relação ao vídeo. Produtoras se queixaram de que tinham séries encomendadas pelo Spotify, mas viram a empresa desistir logo em seguida. Anunciantes disseram que simplesmente não sabiam quais eram os planos da plataforma para o vídeo.

Em resposta, Calderone disse que a empresa estava sendo exigente com o conteúdo de vídeo e descreveu a estratégia como "cirúrgica".

Estratégia em definição

O Spotify sabe que precisa oferecer mais programação além da música e tem lutado para definir uma estratégia.

Os executivos da indústria preferem que os esforços de vídeo do serviço se concentrem na música. Isso traria mais atenção aos seus artistas e a novos lançamentos e não desviaria os ouvintes geradores de direitos autorais para outros conteúdos.

Graças ao Spotify, o negócio da música está crescendo pela primeira vez em quase duas décadas e as gravadoras não estão interessadas em ver a diversificação de conteúdo. Como resposta, estão sendo testadas playlists com vídeos de músicas e pequenos documentários.

Fonte: Business Insider