Spotify lança sistema de “músicas patrocinadas”

Por Redação | 20 de Junho de 2017 às 10h25

O Spotify lançou nesta semana um novo formato publicitário que permite aos artistas pagarem para ter suas canções aparecendo na lista de reprodução dos usuários. Ao contrário do que acontece com os anúncios convencionais, entretanto, essas músicas aparecerão no topo da playlists e podem ser puladas sem problema algum.

Ainda em fase de testes, o sistema de músicas patrocinadas é mais uma forma de monetização para o Spotify e será usado somente com aqueles que não pagam a assinatura do serviço. A ideia da empresa é garantir que a novidade funcione bem, se adequando ao gosto musical dos usuários e de acordo com os artistas disponíveis em uma determinada lista de reprodução.

Com isso em mente, a plataforma também pretende ampliar ainda mais seu sistema de descobertas, ao mesmo tempo em que ganha alguns trocados com isso. Os usuários poderão efetivamente incluir aquela canção nas próprias listas de reprodução ao toque de um botão.

Para quem já se desesperou pensando nos anúncios pouco adequados transmitidos pelo Spotify na versão gratuita, a boa notícia é que o sistema de músicas patrocinadas pode ser desativado. A área de configurações ganhou uma opção dedicada a isso, que não desliga os anúncios convencionais, mas passa a impedir que canções pagas apareçam em meio às playlists.

De acordo com a empresa, a novidade é uma expansão de uma possibilidade já existente, que permite a empresas e marcas patrocinarem listas de reprodução ou criarem playlists próprias e com conteúdo selecionado. O recurso já permitia, por exemplo, o direcionamento de anúncios e até mesmo ofertas de minutos ou horas para usuários gratuitos ficarem sem as propagandas, mas a ideia, aqui, não é aplicar esse tipo de benefício.

O Spotify ainda afirma que o recurso permanece em caráter de testes, aparecendo para um número pequeno de utilizadores e ainda sem data para ser aplicado a todos os usuários gratuitos. Se efetivamente colocada em funcionamento, a novidade vai valer tanto para os aplicativos móveis quanto para a versão desktop da plataforma.

Fonte: TechCrunch

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.