Site permite que usuário aumente pagamentos para artistas pelo Spotify

Por Redação | 23 de Junho de 2015 às 18h49

Enquanto a discussão entre gravadoras, músicos e serviços de streaming parece se inflamar cada vez mais, um serviço online promete permitir que os próprios fãs mudem a balança e garantam mais dinheiro para seus artistas favoritos. Trata-se do Eternify, site que se liga à conta dos usuários no Spotify para aumentar os ganhos de royalties daqueles que disponibilizaram suas faixas por lá.

O sistema funciona tocando trechos de canções em loop, com o volume desligado, e apenas durante 30 segundos, tempo necessário para que uma faixa possa ser considerada como aceita pelo Spotify para pagamento. A ideia dos responsáveis pelo serviço é que os fãs coloquem o Eternify para rodar durante a noite ou nos momentos em que não estejam ouvindo música. Assim, ele não incomoda e apenas faz o seu trabalho.

A criação é da banda Ohm & Sport, que tem singles liberados no Spotify e se considera um “grupo em estágio Beta”. Apesar disso, o Eternify permite que qualquer banda e álbum seja reproduzido em loop, dando nas mãos dos fãs a possibilidade de incrementar o salário dos artistas. De acordo com os cálculos do conjunto, cada reprodução de faixa no serviço garante apenas US$ 0,005 de royalties, e esse valor ainda é dividido entre gravadora, músico e outros possíveis detentores de direitos autorais. O valor oficial apresentado pela empresa é outro – ela diz que o total varia entre US$ 0,006 e US$ 0,008 de acordo com os acordos realizados.

Para os músicos, mais do que isso, trata-se de um protesto contra toda a indústria de streaming musical e suas promessas de que os artistas serão valorizados e respeitados. O Ohm & Sport volta suas críticas até mesmo contra nomes como o Apple Music e o Tidal, que têm justamente essa fala como um de seus diferenciais para atrair assinantes, mesmo que a realidade não seja exatamente essa.

A iniciativa lembra uma outra ideia parecida. No ano passado, a banda indie Vulfpeck lançou, também no Spotify, o álbum Sleepify, composto apenas de faixas silenciosas. A ideia era que as pessoas o deixassem em reprodução contínua enquanto dormiam, de forma a garantir fundos para uma turnê do grupo. De acordo com eles, os ganhos foram de cerca de US$ 20 mil, efetivamente pagos pela empresa, antes que ela retirasse o disco do ar devido a violações de seus termos de uso.

O Spotify ainda não se pronunciou sobre o assunto, mas o desfecho dessa história deve ser o mesmo — o sistema deve ser bloqueado logo menos, pelos mesmos motivos.

Fonte: The Verge

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.