Novo disco da Adele pode ficar de fora do Spotify

Por Redação | 11.11.2015 às 14:39

Parece que outro grande nome da música está prestes a boicotar o Spotify. Depois de Taylor Swift e Beyoncé, pode ser que a cantora britânica Adele também decida deixar seu próximo álbum de fora do serviço de streaming de músicas por não concordar com o modelo adotado pela empresa. E, com isso, a plataforma recebe mais um grande golpe nessa luta entre artistas e a companhia.

Segundo o site The Verge, a cantora teria feito uma série de exigências para que o disco 25 fosse disponibilizado no catálogo do Spotify. De acordo com a página, ela quer que apenas os assinantes do pacote Premium do serviço tenham acesso às músicas como forma de pressionar a empresa a acabar com o modo gratuito baseado em publicidade. Com isso, dos 75 milhões de usuários do serviço, o álbum estaria disponível somente às 20 milhões de pessoas que pagam por esse conteúdo.

Alguns boatos sobre o assunto afirmam que o Spotify está bastante resistente à proposta e segue estudando formas de viabilizar o lançamento de 25 para todos os seus usuários. Por outro lado, de maneira oficial, um executivo sênior da companhia disse ao The Verge que esse tipo de exigência não teria sido feito por alguém da equipe da Adele — e muito menos pela própria artista.

No entanto, sendo apenas um rumor ou não, a verdade é que essa é uma posição bastante desconfortável para o Spotify. Por um lado, o lançamento do disco é algo que vai render muitos acessos ao serviço de streaming, visto que a cantora é um dos maiores nomes da música atual e sua última canção, Hello, quase quebrou a internet quando foi lançada, no final de outubro. Ao mesmo tempo, ceder essa suposta pressão iria deixar de lado quase que três quatros de seu público. Isso sem falar que abriria o precedente para que outros artistas exigissem a mesma coisa ou algo ainda mais delicado. Em qualquer uma das situações, a empresa sai perdendo.

Vale lembrar também que essa não é a primeira vez que Adele faz uma exigência do tipo ao Spotify. Em 2011, na época do lançamento de 21, ela também pediu para que apenas os assinantes Premium tivessem acesso às canções, o que foi negado e fez com que o álbum ficasse de fora do catálogo. Contudo, como o The Verge aponta, isso era em uma época em que a cantora não era uma das maiores artistas da indústria fonográfica e nem o serviço de streaming era tão grande. Com um cenário completamente diferente, a plataforma precisa mais da cantora do que o inverso — o que faz com que essa briga fique mais pesada e o cerco contra o modelo adotado pelo Spotify ainda mais fechado.

Via: The Verge