Internautas encontram mais dicas de como David Bowie previu sua morte

Por Redação | 13 de Janeiro de 2016 às 08h24
photo_camera Divulgação

A morte repentina de David Bowie no último domingo (10) ainda tem sido um dos assuntos mais comentados em todo o mundo. Fãs do cantor, um dos maiores ícones do mundo da música – e fora dela –, lotaram as redes sociais com mensagens, vídeos e trechos das obras do artista que sempre se reinventou a cada trabalho lançado. E é também na internet que muita gente encontrou mais uma possível referência de como o compositor britânico usou a web para se despedir do público.

Dezenas de usuários estão comentando sobre o último perfil que Bowie seguiu no Twitter antes de morrer. A conta em questão foi a @TheTweetofGod, um fake que se passa por Deus e tem mais de 2,2 milhões de seguidores na rede. Levando em consideração que nada na vida do artista foi por um acaso, esta pode ter sido mais uma pista de como Bowie já sabia o que lhe ia acontecer.

Ao saber que o cantor começou a segui-lo, "Deus" no Twitter enviou uma mensagem homenageando o camaleão da música. "David Bowie foi o Deus que eu sempre quis ser", disse o perfil do Todo-Poderoso.

Anteriormente, Bowie havia dado dicas sobre seu delicado estado de saúde – e mesmo assim soube transformar esse momento tão difícil em arte. Em Lazarus, uma das faixas do disco Blackstar, lançado na última sexta-feira (8), o artista diz logo nas primeiras frases da música: "Olhe aqui, eu estou no céu. Tenho cicatrizes que não podem ser vistas. Olhe aqui, cara, eu estou em perigo. Não tenho nada a perder". Esta seria uma referência à sua luta contra a doença, um câncer no fígado, descoberto há 18 meses.

Lazarus também é o último clipe gravado por Bowie. No vídeo, o cantor aparece na cama de um hospital e no fim busca refúgio em um armário escuro que lembra um caixão. Além disso, "Lazarus", que no português é "Lázaro", faz menção ao homem com o mesmo nome que, segundo a Bíblia, foi ressuscitado por Jesus Cristo depois de quatro dias. Por fim, outro detalhe no videoclipe são os olhos de botões usados por Bowie: eles podem ter relação com a mitologia grega do Barqueiro de Caronte, que colocava duas moedas nas vistas dos mortos para levar suas almas para Hades.

Tony Visconti, produtor e músico que trabalhou com Bowie em Blackstar, confirmou em sua página no Facebook que o álbum foi feito como forma de despedida. "Ele fez Blackstar para nós, é seu presente de despedida. Por um ano eu soube que seria dessa maneira. Mas eu não estava preparado para isso. Ele era um homem extraordinário, cheio de amor e vida. Ele sempre vai estar conosco. Por enquanto, é apropriado chorar", disse.

A doença de Bowie só veio a público agora com a notícia de seu falecimento. O cantor sempre foi muito reservado com sua vida pessoal e desde 2004, quando precisou fazer uma cirurgia cardíaca de emergência, foram poucas as vezes em que apareceu em shows e programas de TV. Durante sua vida, o compositor acumulou, entre seus maiores sucessos, obras como Let's Dance, Heroes, Life on Mars, Under Pressure, Rebel, Rebel e Suffragette City.

Fonte: Mashable

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.