Gravadoras conseguem fechar novo domínio da versão não oficial do Grooveshark

Por Redação | 15.05.2015 às 13:49

Usuários e fãs do Grooveshark têm enfrentado dias difíceis. No final do mês de abril, o site saiu do ar repentinamente, mas poucos dias após o fechamento, ele foi "ressuscitado" por pessoas desconhecidas. Apesar de parecer mais com um motor de busca de MP3 tradicional do que com o Grooveshark, as gravadoras estão determinadas a derrubá-lo novamente.

A história é a seguinte: após quase 10 anos de atividade, o Grooveshark foi fechado como parte de um acordo judicial para um processo que já vinha caminhando há alguns anos e resultou em um acordo de alguns milhões de dólares e um pedido de desculpas pelos erros que havia cometido no passado.

As gravadoras comemoraram sua vitória durante pouco tempo, até que um serviço de música online que se identifica apenas como “Shark” chegou para atormentá-los novamente com cerca de 90% do conteúdo do Grooveshark original disponível no novo domínio.

Apesar de ser bem diferente do antigo site de músicas, o uso do nome Grooveshark foi o suficiente para preocupar as gravadoras. Agora, as gigantes da indústria da música estão processando as pessoas por trás da reencarnação do Grooveshark.

No início dessa semana, um juiz distrital de Nova York emitiu uma ordem de restrição temporária e uma ordem de penhora dirigida aos operadores do site, e ao provedor de hospedagem e registro de domínio.

Sob a ordem de restrição temporária, os operadores do site estão impedidos de usar as marcas e logotipos do Grooveshark e os provedores de hospedagem também estão proibidos de trabalhar com o site. Além disso, o atual provedor, NameCheap, também foi condenado a suspender o domínio até novo aviso da justiça. A NameCheap cumpriu rapidamente a ordem e tirou o endereço Grooveshark.io do ar.

Apesar de tudo isso, os operadores do "novo Grooveshark" não se intimidaram e já disseram que ninguém vai conseguir detê-los. "Pelo contrário! Quanto mais forte formos atacados, mais vamos lutar, e agora estamos mais determinados do que nunca a manter o Grooveshark vivo", disseram os anônimos.