De olho nos usuários gratuitos, Spotify deve reformular app mobile

De olho nos usuários gratuitos, Spotify deve reformular app mobile

Por Felipe Demartini | 11 de Abril de 2018 às 11h25
Divulgação

O Spotify estaria planejando uma reformulação completa de seu aplicativo mobile, com o objetivo de simplificar a experiência. A empresa estaria focando também em seus usuários não pagantes, removendo a restrição que impede eles escolherem uma música específica a partir de uma lista de reprodução ou álbum de artista.

Além disso, a mudança de design traria uma forma simplificada de acessar canções, páginas de músicos ou bandas e, principalmente, listas de reprodução. Sugestões do serviço, bem como faixas recentemente reproduzidas, também passariam a aparecer com mais destaque, em uma nova interface que, inclusive, já está sendo testada com um número restrito e selecionado de utilizadores.

O Spotify, porém, não comentou sobre as informações, taxando-as como rumores, sem confirmar nem negar. Entretanto, a empresa tem um evento marcado para o dia 24 de abril, em que deve anunciar novidades na plataforma e também comemorar o sucesso da recente abertura de capital da empresa, cujas ações estrearam com sucesso significativo na Bolsa de Nova York.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Especula-se, inclusive, que as mudanças relacionadas aos usuários gratuitos tenham a ver, justamente, com esse movimento. Uma vez aberta a companhia, acionistas e investidores passam a pressionar, seja por números de usuários, reproduções ou conversão de assinantes.

É aí que entraria o fim de uma das restrições mais incômodas da plataforma. Para muita gente, ouvir faixas aleatórias quando se quer, na realidade, escutar uma música específica, não é desejável, o que pode levar as pessoas a preferirem outros serviços. Com o fim dessa imposição, as pessoas poderiam aproveitar melhor o que o Spotify tem para oferecer e, caso desejem se livrar dos anúncios ou acessarem recursos melhores, poderiam considerar uma assinatura.

Além disso, outro fator de pressão seria o Apple Music. Enquanto o Spotify é líder no mercado de streaming, o serviço concorrente estaria tendo maior sucesso em angariar usuários pagantes, enquanto muitos dos utilizadores da plataforma verde acabam ficando na versão gratuita. A taxa de crescimento da Maçã nesse quesito seria de 5% ao mês, enquanto o rival aumenta seu total de membros em 2%. Mais uma vez, ao dar mais acesso a alguns de seus recursos primordiais, a ideia seria realizar essa conversão.

De acordo com os números mais recentes do Spotify, registrados previamente à abertura do capital da companhia, cerca de 90% do lucro do serviço é oriundo do pagamento de assinaturas. E, aqui, estamos falando de uma plataforma com grandes contas a pagar, principalmente em termos de royalties das músicas disponíveis para serem ouvidas.

Confirmadas ou não, a expectativa é que as mudanças sejam aplicadas em algumas semanas às versões iOS e Android do aplicativo do Spotify. Em seu evento, outros anúncios devem ser feitos pela empresa. Os boatos são diversos e vão desde a revelação de novas parcerias de assinatura combinada, como a opção que existe hoje com o serviço de streaming de vídeo Hulu, até a revelação de um alto-falante inteligente.

Fonte: Bloomberg

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.