Apple Music não terá o álbum mais recente de Taylor Swift

Por Redação | 19 de Junho de 2015 às 11h58

Taylor Swift está se recusando a colocar seu álbum mais recente, "1989", no serviço de streaming de música da Apple. A gravadora da cantora, Big Machine Records, disse que suas músicas estarão disponíveis no lançamento do Apple Music, com exceção do seu mais novo trabalho, que, na verdade, não estará disponível em nenhum serviço de streaming.

A parceria entre a empresa da Maçã e Taylor Swift já estava prevista, afinal o seu clipe mais recente, "Bad Blood", apareceu na tela durante a apresentação do Apple Music, mas os fãs esperavam ter acesso também ao novo álbum.

Apesar de não parecer um grande problema, isso é mais importante do que você imagina. A Apple está entrando muito tarde na corrida maluca dos serviços de streaming de música. Embora a empresa domine há muito tempo o mercado de downloads de músicas graças ao iTunes, uma queda crescente nos números tem sido vista.

Enquanto isso, o seu rival Spotify conseguiu ganhar um escalonamento de 86% no mercado de streaming on-demand. Para tentar correr atrás do prejuízo, a Apple precisa criar diferenciais para atrair o público; a empresa está, inclusive, lançando versões do aplicativo para Windows Phone e Android para atingir o maior número possível de usuários.

Os rumores de que a Apple teria conseguido laçar Taylor Swift para seu serviço tinha enviado ao mercado um sinal de que a empresa havia conseguido acalmar as preocupações da indústria – e dar aos consumidores uma razão convincente para escolher o Apple Music em vez dos seus concorrentes.

A relação da cantora com os serviços de streaming de música não é das melhores, pois ela enxerga esse mercado com certo ceticismo. No ano passado, Taylor retirou toda a sua discografia do Spotify, alegando que havia uma percepção de que a música “não tem valor e deve ser gratuita”. “Eu sentia que estaria dizendo a meus fãs que ‘se vocês criarem música um dia, se vocês pintarem um quadro um dia, alguém vai entrar no museu, pegar sua obra da parede e dizer que é deles e que não tem que pagar mais por ele’”, explicou a cantora na ocasião.

De acordo com a gravadora, atualmente não existe nenhum plano para lançar o álbum "1989" em qualquer serviço de streaming em um futuro próximo, uma estratégia que obriga os consumidores a pagar pelos álbuns em lojas, ou então consegui-lo por outros meios. A estratégia certamente não tem prejudicado as perspectivas comerciais da cantora; 1989 já vendeu mais de 5 milhões de cópias desde o seu lançamento em novembro do ano passado, tornando-se o álbum mais vendido de 2014 e 2015.

Fonte: BuzzFeed

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.