Apple Music está ultrapassada, diz Eric Schimidt, da Alphabet

Por Redação | 15 de Setembro de 2015 às 13h45
photo_camera Talk Android
Tudo sobre

Alphabet

O novo serviço de streaming de música da Apple está rendendo muitas discussões em volta de seus recursos e maneira de oferecer conteúdo para os usuários. Uma das provas disso são as duras declarações de Eric Schmidt, Chairman da Alphabet, empresa que encabeça o Google. De acordo com o executivo, o Apple Music está cerca de 10 anos ultrapassado e elitista.

As declarações de Schmidt foram realizadas em uma entrevista recente para a BBC News, na qual abordou o tema inteligência artificial. Em suas palavras, ele procurou mostrar o quanto o serviço da Apple está atrasado perante as tecnologias presentes no mercado. Para destacar o quanto o Apple Music está atrasado, o executivo fez questão de citar a opção de criação de listas realizadas por humanos.

"Uma década atrás, para lançar um serviço de música digital, era necessário recorrer a um punhado de formadores de opinião de elite para escolher as músicas mais populares. Hoje, é muito melhor construir um sistema inteligente que pode aprender com o mundo real — observando o que os ouvintes reais estão mais propensos a gostar — e ajudá-los a prever quem e onde a "próxima Adele" pode estar", afirmou.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Para Schmidt, com os avanços já feitos na área de inteligência artificial, campo que o Google está mais desenvolvido que a Apple, a escolha mais acertada seria a integração destes sistemas nos processos de criação de listas de reprodução e rádios. A melhor escolha, de acordo com o executivo, é a automatização dos processos, com base na inteligência artificial, com alguma mistura de opções feitas por pessoas.

"Você não pode fazer todo o processo de curadoria de maneira humana, e não pode fazer tudo com algoritmos. Nós temos o que acreditamos ser o melhor de ambos", disse Schmidt, citando o Google Play Music. "Este processo é menos elitista — muito mais democrático — permitindo que todos possam descobrir a próxima grande estrela por meio de nossos próprios gostos coletivos e não através das preferências individuais de um grupo seleto".

No entanto, o argumento utilizado por Eric Schmidt é irônico ao levar em conta o novo canal apresentado no Google Play Music que não se baseia em mecanismos automáticos, optando apenas por escolhas manuais realizadas por especialistas. Há ainda o fato de muitos algoritmos terem apresentado algum grau de falhas, como aconteceu recentemente com erros de identificação no Google Photos.

Vários serviços de streaming de música, como o Apple Music, optam por dar aos utilizadores experiências personalizadas, mas sem automatização em alguns processos. O principal rival do serviço da Apple, o Spotify, tem investido constantemente em inteligência artificial, como a aquisição do Echo Nest por US$ 100 milhões no ano passado. O serviço também tem recebido elogios devido ao recurso "Descobertas da Semana", que consiste em uma lista de reprodução semanal formada por análise automatizada do gosto musical de cada usuário.

Fonte: BBC News

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.