Bose segue passos da Beats e planeja lançar próprio serviço de streaming

Por Redação | 16 de Dezembro de 2014 às 12h13

Anúncios de emprego normalmente indicam o que está por vir dentro de muitas empresas, já que a abertura de novas posições normalmente indica o investimento em um novo serviço. E foi justamente isso que aconteceu nesta terça-feira (16) com a Bose, reconhecida fabricante de equipamentos de áudio, que parece estar disposta a iniciar sua própria plataforma de streaming de música.

Em uma vaga aberta recentemente no site da companhia, a empresa busca um Designer de Experiência, alguém especializado em interfaces de usuário para trabalhar no protótipo de uma “plataforma de streaming musical de última geração”. o novo contratado pela Bose irá trabalhar como parte de sua equipe de Algoritmos e Experiências Cloud na cidade de Framingham, no estado norte-americano do Massachusetts.

Não precisa ser mais direto do que isso para entender que a Bose deseja entrar no mercado cada vez mais aquecido e que tem Spotify, Pandora, Rdio e, recentemente, o Google, como alguns de seus principais nomes. Seria justamente esse último um dos grandes rivais da companhia em sua nova operação, de acordo com as informações publicadas pelo site 9to5 Google.

Além disso, não dá para esquecer da própria Apple, que com a compra da Beats Electronics, também levou para casa o serviço Beats Music e, como tudo indica, estaria trabalhando em sua própria entrada no mundo dos streamings como alternativa para o cada vez mais em declínio segmento da venda de faixas individuais.

As similaridades não param por aí. A Bose, assim como a Beats, é reconhecida como uma das grandes fabricantes de equipamentos de áudio em todo o mundo, e a experiência bem sucedida da concorrente nesse segmento seria justamente uma das razões para sua entrada no mercado musical. Vale a pena citar também o fato de que os equipamentos da marca são vendidos oficialmente pela Apple Store, ao lado dos da Beats e daqueles fabricados pela própria Maçã.

Como se trata de um boato, por enquanto, é possível que a ideia não chegue a ser aplicada na prática, uma vez que envolveria também acordos com gravadoras e distribuidoras, normalmente um dos aspectos mais complicados do negócio. Oficialmente, a empresa não falou sobre o assunto, mas na realidade, existe muito pouco a comentar além dessa vaga que revelaria a intenção de entrar no mercado musical.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!