Bono Vox pede desculpas pelos downloads indevidos de álbuns do U2

Por Redação | 15 de Outubro de 2014 às 17h31

O que era para ser uma grande promoção, com a união de dois grandes nomes do segmento musical, acabou se tornando um fiasco. Em setembro, no evento que anunciou o iPhone 6 e o Apple Watch, a Maçã liberou também, de forma gratuita, o novo álbum do U2, Songs of Innocence, para todos os usuários do iTunes. O problema é que o download das músicas foi feito automaticamente para os dispositivos dos clientes, muitas vezes, sem autorização deles.

Agora, em uma postagem publicada no Facebook, o vocalista do conjunto, Bono Vox, pede desculpas por toda a situação. “Ops, desculpe por isso” foi a declaração exata do líder do U2, em uma entrevista em vídeo montada a partir de perguntas enviadas a partir da própria rede social. Para a fã responsável pelo questionamento, a atitude da banda foi realmente rude e ela pediu que os irlandeses jamais façam isso novamente.

Mais adiante, porém, Bono voltou a falar. Segundo ele, a ideia de se unir à Apple para lançar Songs of Innocence pareceu sensacional demais para a banda, que se deixou levar, como qualquer artista. “Autopromoção, megalomania, generosidade e o medo de que as canções que levamos os últimos anos para fazer não fossem ouvidas” foram os motivos que levaram o U2 a se unir à empresa de tecnologia, gerando um efeito mais negativo do que positivo.

O fiasco aconteceu devido a uma configuração que vem como padrão em todo dispositivo da Apple. Quando atrelado a uma ID da empresa, e como forma de tornar a experiência com a loja online mais simples, todo conteúdo de mídia comprado em um aparelho é baixado automaticamente em todos os outros. Então, quando Songs of Innocence foi validado nas contas de todos os usuários do iTunes, o download iniciou-se na sequência, resultando na presença de canções do U2 até mesmo nos gadgets daqueles que odeiam a banda.

Além do pedido de desculpas de Bono, que veio agora, a Apple já havia tomado atitudes para conter o problema no passado. Mesmo com as canções deletadas do dispositivo, as faixas do vocalista e sua turma continuavam aparecendo na lista de compras dos usuários, o que levou a Maçã a liberar uma página exclusivamente para desvincular o álbum das contas de seus clientes.

Leia também:

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.