Tidal, ao mostrar qualidade sonora, acaba cortando período de testes pela metade

Por Redação | 01.04.2015 às 13:23 - atualizado em 01.04.2015 às 15:43

Com muita pompa e presença de grandes nomes da música, o rapper nova-iorquino Jay-Z lançou nesta terça-feira (31) o Tidal, seu serviço de música que vai bater de frente com o Spotify e o Rdio. E uma das opções que mais chamaram a atenção dos usuários, além da promessa de qualidade absurda, foi o mês gratuito ofertado, algo padrão em plataformas de streaming pagas como esta.

Uma questão, porém, está chamando a atenção de alguns usuários mais observadores. Como o principal ponto do Tidal é a qualidade da transmissão, o sistema oferece uma espécie de teste, no qual o utilizador pode escolher cinco músicas e mudar, em tempo real, da qualidade tradicional para a alta, observando a diferença. Na sequência, recebe um período de acesso gratuito por duas semanas – metade da proposta “oficial”, que é do dobro disso.

Trata-se, provavelmente, de uma opção que não foi atualizada. Ela já existia no Tidal “original” e era um dos principais meios de venda da assinatura. Agora, então, ela permanece, mas com a estranha noção de que aqueles que efetivamente experimentarem o sistema antes de iniciarem o período de testes o terão cortado pela metade, algo que pode não parecer exatamente tentador.

Outro problema parece surgir na mudança em si, que aparenta não estar otimizada para a nova era do Tidal. Em alguns momentos, durante o teste, não é possível perceber uma modificação significativa na qualidade, o que pode se tornar um grande problema para os responsáveis pela plataforma. Essa ausência de percepção pode acabar minando um dos grandes diferenciais da plataforma e, assim, fazer com que os futuros clientes prefiram o pacote mais barato, com música em qualidade tradicional.

O Tidal é um serviço exclusivamente pago, ao contrário de outros rivais do mercado. Ele foi lançado nesta semana e tem assinaturas que custam de US$ 9,99 (cerca de R$ 33) até R$ 19,99, pouco mais de R$ 60. Como a plataforma ainda não tem data para chegar ao Brasil, porém, tais dados são apenas conversões, uma vez que ainda não existem valores oficiais para o país.

Fonte: Engadget