Zuckerberg garante que Internet.org não morreu e lança novo projeto de telecom

Por Redação | 22 de Fevereiro de 2016 às 15h28

O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, está marcando presença na Mobile World Congress 2016. Depois de fazer uma aparição surpresa na conferência da Samsung, o jovem executivo fez a sua própria keynote na tarde desta segunda-feira (22). Desta vez, a grande novidade ficou por conta do anúncio de um novo projeto de infraestrutura para colocar o mundo inteiro online.

Zuckerberg apresentou seus planos para a implantação de redes móveis nas áreas mais remotas do planeta. Intitulado Telecom Infra Project (TIP), o projeto vai funcionar sob o guarda-chuva do Internet.org, a parceria encabeçada pelo Facebook para conectar cada vez mais pessoas.

Este novo esforço vai seguir os mesmos princípios de design e colaboração do Open Compute Project, um projeto lançado pelo Facebook em 2011 que fez pelo hardware o que Linux, Android, e outros produtos populares, fizeram pelo software, tornando-os gratuitos e open source. Ao fornecer seus projetos gratuitamente para as operadoras, a rede social espera que a redução nos custos e o aumento na eficiência sejam repassados para os consumidores finais, tornado seus planos de dados mais baratos.

A ideia é que a liberação dos modelos de projetos de infraestrutura ajudem ainda as operadoras a estender o alcance de suas redes para locais que não seriam tradicionalmente rentáveis. "Desta forma, o TIP vai nos ajudar a conectar o mundo muito mais rápido", explica Zuckerberg.

Internet.org

O Facebook está trabalhando com mais de 30 parceiros, incluindo a Deutsche Telekom, Intel, Nokia e SK Telecom para desenvolver novas tecnologias que podem ajudar a conectar as pessoas de forma mais rápida e eficiente, desde a estrutura para ajudar a conectar pessoas que estão desconectadas nos países em desenvolvimento até formas de acelerar o crescimento das redes 5G – que vão entregar formas mais ricas de conteúdo, como vídeo e realidade virtual", explicou.

"Atualmente, mais de 50% da população mundial ainda não tem acesso a uma conexão de internet a preços acessíveis. Todo mundo merece o acesso à Internet. Eu não entendo como em 2016, ainda podemos ser assim", disse o CEO do Facebook. Zuckerberg ainda explicou que o Free Basics era apenas o começo. "Este ano, pela primeira vez, nossos drones vão voar sobre o mundo e nós vamos colocar nosso primeiro satélite na África", completou.

Enquanto os projetos já estabelecidos no Internet.org, como o Free Basics, têm focado no fornecimento de conteúdo específico para dispositivos de consumo ou conceitos envolvendo satélites e drones movidos a energia solar. Já o Telecom Infra vai se concentrar em assegurar que a tecnologia subjacente, que dá suporte para a internet, é adequada. Apesar de parecer banal, esta ideia é fundamental para que os planos de conectar todas as partes do mundo funcione.

"Hoje estamos dando o próximo passo por meio de parcerias com empresas de telecomunicações para desenvolver novas tecnologias que reduzam o custo da construção de redes móveis em todo o mundo", escreveu Zuckerberg em um post no Facebook.

Quando questionado sobre o que aconteceu na Índia – onde o Free Basics foi banido pelo órgão regulador de telecomunicações no país – ele disse que aprendeu que cada país é diferente. "Os modelos que funcionavam em um país são diferentes em outros. Na Índia, nós estamos nos concentrando em diferentes programas. Existem outras partes do Internet.org que estamos focando", disse. Apesar do fracasso na Índia, o Free Basics continuará a operar no resto do mundo, porque, de acordo com o executivo, "todo mundo merece o acesso à Internet".

Fonte: Facebook<a href="http://www.cnet.com/news/mark-zuckerberg-internet-org-telecoms-project-mobile-world-cong

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.