Yahoo! torna buscas mobiles mais relevantes

Por Redação | 29 de Junho de 2015 às 07h54

O Yahoo! anunciou uma série de mudanças com o intuito de tornar sua ferramenta de pesquisas mais dinâmica e intuitiva em dispositivos móveis. A ideia é modificar a maneira como as informações são exibidas, incluindo resultados mais relevantes com não apenas mais sites em si, mas também notícias, imagens e vídeos.

Tudo funciona por meio de sugestões. Quando um termo é digitado, o Yahoo! exibe uma série de indicações de possibilidades e então reúne as informações necessárias. A procura por um restaurante, por exemplo, exibe imagens do cardápio, endereço, preços e reviews de clientes. Já a pesquisa por uma pessoa específica ou um fato traz um sumário de informações e fotografias antes dos links gerais.

Yahoo Mobile Search

A ideia da empresa é não apenas facilitar a utilização da ferramenta móvel, mas também reduzir o consumo de dados. Para o Yahoo!, pesquisas no celular precisam ser rápidas e precisas – não é legal ficar fuçando em uma longa lista de links em uma tela pequena, nem ficar gastando a preciosa banda e lidando com problemas de internet enquanto acessa páginas pouco otimizadas e que podem não trazer a resposta desejada.

O novo algoritmo já está disponível para usuários nos Estados Unidos que tenham a busca do Yahoo! ativada como padrão nos navegadores Chrome, Safari ou Opera em todos os sistemas operacionais móveis. A ativação de recursos como a localização, por exemplo, também facilita a vida da plataforma na hora de entregar resultados mais certeiros.

Por outro lado, a mudança também pode acabar atingindo em cheio os serviços que ainda não se adequaram à era mobile, com sites pouco ou nada otimizados. Eles dificilmente serão capturados pelo algoritmo e acabarão tendo menos prioridade nas buscas, o que pode acabar tendo um impacto nos negócios. Por isso, o Yahoo! pede para que todos se adequem o mais rápido possível para que possam usufruir das novidades.

Mas, acima de tudo isso, a ideia do Yahoo! é encurtar a distância entre si mesmo e o Google no mundo das pesquisas online. Aqui, há ainda um longo caminho a seguir, com a gigante concentrando mais de 90% de todo o market share das buscas mundiais. A concorrente, porém, vem em segundo lugar, com menos de 5%.

Esse movimento, inclusive, é bastante parecido com o que vem sendo efetuado também pelo Google, só que de forma mais abrangente. Há alguns meses, a empresa mudou suas regras para dar mais prioridade a sites que sejam responsivos e otimizados para celulares e tablets mesmo nas buscas feitas em computadores comuns.

Todo esse movimento caminha lado a lado com uma noção de que os dispositivos móveis cada vez mais tomam o lugar das plataformas convencionais. Isso se reflete, também, na queda nas vendas de PC e em uma presença online cada vez maior dos smartphones e tablets, seja em redes sociais ou sites convencionais. Quem não se adaptar vai mesmo ficar para trás.

Fontes: Yahoo, Digital Trends

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.