Yahoo! planeja vender seu negócio de internet, afirma WSJ

Por Redação | 02.12.2015 às 08:29

Desde que foi assumido por pela ex-Google Marissa Mayer, em julho de 2012, o Yahoo! tenta se reestruturar em seu principal negócio: a internet. Mas isso pode mudar, pois um novo rumor indica que, devido aos resultados financeiros pouco expressivos dos últimos meses, a diretoria da empresa não descarta vender sua divisão web, o que inclui seu famoso motor de buscas.

Fontes familiarizadas com o assunto disseram ao Wall Street Journal que a proposta sobre a possível venda começará a ser discutida nesta quarta-feira (2) durante uma reunião do conselho, com possibilidade das conversas se estenderem até sexta-feira (4). Além da venda do setor responsável pela internet, a junta da companhia poderá avaliar se vai ou não continuar com os planos de se desfazer de 15% de participação no gigante do comércio eletrônico chinês Alibaba. Os informantes alegam ainda que discussões sobre essas duas operações podem acontecer simultaneamente.

Entre os potenciais compradores do negócio de internet do Yahoo! estariam algumas instituições privadas que não tiveram seus nomes revelados.

As fontes também afirmam que o debate sobre uma possível venda da divisão de internet do Yahoo! tem rondado a companhia desde o mês passado, quando a Starboard Value, uma das principais investidoras da corporação, escreveu uma carta criticando o fim de sua participação junto ao Alibaba.

Inicialmente, a Starboard apoiou a estratégia, até então avaliada em cerca de US$ 30 bilhões. No entanto, mudou de opinião ao avaliar os riscos que poderiam ser causados após o serviço de arrecadação de impostos dos Estados Unidos (IRS) se recusar a certificar que a transação estaria livre de taxas. Se a agência tributária americana decidir que a negociação deverá ser taxada, os acionistas do Yahoo! seriam obrigados a pagar US$ 12 bilhões em impostos.

Foi aí que a Starboard aconselhou a empresa a vender seus negócios de internet e de anúncios online. "Estamos cada vez mais frustrados com sua falta de disposição para aceitar nossa ajuda e sua falta de consideração com nossas sérias preocupações com a situação atual do Yahoo!", dizia um trecho da carta enviada à companhia.

Mesmo em crise, os domínios online do Yahoo! continuam entre os mais acessados do mundo, com centenas de milhões de visitantes mensais. O problema é que a empresa aparece muito atrás de suas principais concorrentes, incluindo Google e Facebook, e isso tanto em questão de anunciantes e orçamento quanto engajamento por parte dos usuários. Além disso, a receita do Yahoo! permanece estagnada há três anos, desde que Mayer assumiu o cargo de presidente e CEO da entidade. A companhia também não criou nenhum serviço ou aplicativo que pudesse atrair mais consumidores.

Recentemente, executivos de confiança de Mayer optaram por deixar o Yahoo!, entre eles Kathy Savitt, diretora de marketing; Lisa Licht, vice-presidente sênior de parcerias de marketing; e pelo menos outros 12 empresários.

Fontes: The Wall Street Journal, Business Insider