Yahoo cria conselho para buscar alternativas e melhorar negócios

Por Redação | 19 de Fevereiro de 2016 às 14h13

Quanto mais o tempo passa, mais pressão de um grupo de acionistas (que se torna cada vez maior) é colocada sobre o Yahoo para que considere uma venda de suas operações. Mas essa não parece ser a vontade da CEO Marissa Mayer, que, agora, criou um comitê de diretores independentes para buscar estratégias e analisar oportunidades que possam reverter a queda cada vez maior no faturamento e lucratividade de uma das mais tradicionais empresas de internet.

De acordo com as informações divulgadas, a ideia por trás do conselho é buscar consultoria e parcerias estratégicas e financeiras que possam melhorar a situação a companhia. No comunicado oficial, a empresa evitou falar em venda, mas parece começar a cogitar a ideia, uma vez que entre os trabalhos do comitê está a busca por “partes interessadas” e a negociação individual com elas em busca de um acordo que gere ganhos mútuos.

O anúncio veio apenas um dia depois de a Starboard Value LP, firma de investimentos que possui uma parcela de 0,75% do Yahoo, revelar que está dando os primeiros passos em uma proxy battle contra a diretoria da companhia. Para a empresa, uma venda é o único caminho lógico para a retomada, e a ideia é convencer mais acionistas para que o voto dos participantes, unidos, consiga suplantar a autoridade de Mayer e seguir em frente com o processo de aquisição.

A pressão, aqui, não vem apenas de dentro, mas também de fora. A Verizon, operadora de telefonia que também opera serviços de mídia e internet, não faz questão nenhuma de negar seu interesse e, inclusive, disse já ter apontado um executivo para cuidar pessoalmente desse processo. A Starboard também esta nesse barco e concorda que a gigante é uma boa opção, mas oficialmente, o Yahoo não confirmou as negociações. O conselho apontado agora, entretanto, pode acabar sendo o responsável por firmar esse movimento.

Fazem parte do comitê representantes de grandes bancos de investimento americanos, como Goldman Sachs, J.P. Morgan e PJT Partners. Além disso, o grupo conta com apoio jurídico na busca por opções, algo necessário principalmente depois que o projeto de spin off das ações do Alibaba, uma das maiores empresas do e-commerce chinês, caiu por terra devido a problemas com o fisco. O fracasso, inclusive, foi visto como mais um exemplo da derrocada do Yahoo.

Apenas a notícia da formação do comitê já parece ter feito algum bem. As ações do Yahoo apresentaram alta de 2,3% nesta sexta-feira (19), em resposta ao anúncio, e estão sendo operadas a US$ 30,12 cada. Para especialistas, esse pode ser o prelúdio de tempos melhores para a empresa, que passa atualmente por um difícil processo de reestruturação que, inclusive, vai envolver a demissão de 15% de sua força de trabalho ao redor do mundo.

Fonte: Reuters

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.