Yahoo admite que sabia da brecha dos emails; Verizon pode desistir da compra

Por Luciana Zaramela | 10.11.2016 às 01:36

Mais um capítulo da saga do Yahoo e seus potenciais compradores foi publicado nesta quarta-feira (9). Pela primeira vez desde que foi levantada a possibilidade de venda da empresa para a operadora norte-americana Verizon, o Yahoo formalizou que acredita em uma possível não-negociação, o que determinaria uma volta de todo o processo em busca de interessados à estaca zero.

A operadora teria se desinteressado da aquisição de US$ 4,8 bilhões de dólares devido ao enorme vazamento de e-mails, anunciado em setembro pelo próprio Yahoo. Em seus documentos e relatórios referentes aos resultados trimestrais, o Yahoo emite um alerta a seus investidores e lista uma série de "fatores de risco" que colocaria uma nuvem de incertezas pairando sobre a cabeça da CEO Marissa Mayer.

Um deles, inclusive, dizia o seguinte: "...riscos que a Verizon possa afirmar, ou ameaçar afirmar, direitos ou reclamações em relação ao Contrato de Compra de Ações, resultantes dos fatos referentes ao Incidente de Segurança (...). [A operadora] pode tentar encerrar o Contrato ou renegociar os termos da transação de venda nesse sentido".

Mas, apesar do trecho soar ameaçador, há explicação para isso. Toda vez que uma empresa finaliza sua documentação trimestral, ela deve incluir na papelada seus fatores de risco; portanto isso não significa, necessariamente, que o Yahoo enxergue um abandono de causa por parte da Verizon em virtude do vazamento dos e-mails. Entretanto, curiosamente o Yahoo resolveu falar sobre isso pela primeira vez em público.

A empresa reiterou que a brecha de segurança não causaria qualquer impacto material sobre a companhia, muito embora tenha sugerido que o incidente possa custar bem mais ao Yahoo em um futuro próximo (já que a empresa está carregando mais de 20 processos judiciais em virtude de vazamento de dados). "Confiamos nos valores do Yahoo e vamos continuar trabalhando pela integração com a Verizon", afirmou um representante da empresa ao Business Insider.

Eles já sabiam

Além de toda a confusão envolvendo a negociação, outro fator importantíssimo revelado na noite desta quarta-feira (10) pela imprensa internacional dá conta de que alguns funcionários do Yahoo sabiam que um hacker associado a algum governo estrangeiro tinha invadido seus sistemas e provocado o vazamento no fim de 2014. Isso, na verdade, é o principal motivo que pode fazer com que a Verizon desista de vez da compra, e foi revelado pela própria empresa em uma declaração de valores mobiliários, realizada também nesta quarta.

Em setembro, o Yahoo havia dito que comandou uma investigação, que se desenrolou em agosto, para descobrir quem foi o responsável e como aconteceu o roubo de informações pessoais associadas a pelo menos meio bilhão de contas de e-mail. À época, a companhia disse que só descobriu o ataque gigantesco à sua base de dados depois que outro hacker anunciou que conseguiu acessar 200 milhões de credenciais de e-mails da plataforma do Yahoo, porém dois anos antes, em 2012.

A empresa também disse que agências do governo americano passaram a publicar dados falsos fornecidos por um hacker, que assegurava serem relacionados às contas de e-mails do Yahoo.

Na mesma declaração, aliás, o Yahoo afirma que especialistas em criminologia cibernética estão em busca de evidências que comprovem que um intruso — provavelmente o mesmo hacker — conseguiu acessar as informações pessoais dos usuários sem precisar de senha. Isso levanta a possibilidade de que o sistema é tão vulnerável que qualquer cibercriminoso dedicado conseguiria acessar os e-mails da plataforma do Yahoo mesmo depois de os usuários terem trocado suas senhas.

No fim das contas, o Yahoo permanece insistindo que os ataques não prejudicarão financeiramente as negociações. Já a declaração alega que a brecha custou ao Yahoo US$ 1 milhão no trimestre fechado em 30 de setembro. Por enquanto, tudo ainda está muito confuso e nebuloso.

Por isso mesmo a história está longe de acabar, mas enquanto os fatos se desenrolam, ficamos com a reação do mercado: tanto as ações do Yahoo quanto as da Verizon ficaram estáveis no after hours desta quarta-feira em Nova York — o que pode mudar completamente no pregão desta quinta-feira (10).

Lembrando o caso

Em setembro, foi anunciado que mais de 500 milhões de contas de e-mails do Yahoo, com credenciais e senhas, foram roubadas no fim de 2014. O escândalo custou caro à empresa, que além de estar passando por um momento delicado antes do incidente, perdeu mais clientes e viu seu prejuízo aumentar depois do ocorrido.

Mesmo diante de tanta turbulência e com seu processo de venda anunciado, o Yahoo conseguiu um interessado em comprá-lo, a Verizon, e o anúncio oficial foi realizado em julho. No entanto, o CEO da operadora de telefonia, Craig Silliman, afirmou, recentemente, que o vazamento de credenciais poderia impactar "materialmente" as negociações.

Via Business Insider, Financial Times, The New York Times, Cnet