Verizon oficializa compra do Yahoo por US$ 4,83 bilhões

Por Redação | 25 de Julho de 2016 às 08h44
photo_camera Yahoo

A Verizon, uma das maiores operadoras de telecom dos Estados Unidos, anunciou a compra do Yahoo por um total de US$ 4,83 bilhões, pagos em dinheiro, numa manobra para expandir sua presença no mercado de internet. Para o Yahoo, a injeção de dinheiro da Verizon é uma maneira de a empresa se aliviar de dificuldades econômicas sofridas nos últimos anos.

O acordo foi oficializado nesta segunda-feira (25), após a abertura da bolsa de valores de Nova York, mas a compra já era esperada desde o domingo, quando o Wall Street Journal reportou que o conselho administrativo do Yahoo aceitou a proposta feita pela Verizon. O negócio está sujeito às condições habituais de fechamento, aprovação dos acionistas do Yahoo e aprovações regulamentares, e deve ser concluído no 1º trimestre de 2017. Até o fechamento, o Yahoo continuará a operar de forma independente.

"O Yahoo é uma empresa que mudou o mundo e continuará a fazê-lo através desta combinação com a Verizon e AOL. A venda do nosso negócio operacional é um passo importante em nosso plano para agregar valor para nossos acionistas. Esta operação também configura uma grande oportunidade para o Yahoo acelerar o nosso negócio em mobilidade, vídeo e publicidade", declarou a CEO do Yahoo, Marissa Mayer, em comunicado.

Sob os termos do acordo, o Yahoo será integrado com a AOL e ficará sob o controle de Marni Walden, presidente da organização de inovação de produtos e negócios de notícias da Verizon. Em email enviado aos funcionários, Marissa Mayer salientou que não deixará a companhia, como era esperado.

A compra do Yahoo dá um gás ainda maior para a divisão de internet da Verizon, que comprou no ano passado outra marca histórica do início da internet, a AOL, por US$ 4,4 bilhões. Segundo analistas, as tecnologias de publicidade online do Yahoo poderão trazer um valor ainda maior para a Verizon neste segmento. Combinadas, as companhias terão mais de 25 marcas para continuar a investir e crescer.

Apesar da aquisição, o Yahoo ainda existirá como controlador de 35,5% das ações do Yahoo Japan, assim como dono de 15% do grupo chinês Alibaba, um dos principais motivos pelos quais a companhia ainda manteve um valor de mercado na casa dos US$ 5 bilhões, um preço muito abaixo do que valia em 2008, quando a Microsoft cogitou adquirir a marca por mais de US$ 40 bilhões.

Em sua terra natal, o Yahoo estava em maus lençóis nos últimos anos, financeiramente falando: no segundo trimestre de 2016 a empresa teve um prejuízo de US$ 439 milhões, um aumento de mais de 20 vezes em suas perdas em relação ao mesmo período em 2015.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.