Verizon não pretende matar o nome (nem a compra) do Yahoo

Por Redação | 26 de Outubro de 2016 às 19h36

A Verizon ainda está interessada em fechar negócio na aquisição do Yahoo, uma transação de US$ 4,8 bilhões, mas está cuidadosa em relação a isso. Mesmo assim, a empresa ainda confia no nome do Yahoo, tanto que não pretende extinguir o nome da empresa comprada.

De acordo com a telecom, o Yahoo ainda possui um nome de valor no mercado. Para a VP executva de inovação em negócios da Verizon, Marni Walden, marcas como Yahoo Mail e Yahoo Finance ainda tem um grande público, oferecendo uma audiência que a Verizon e AOL (empresa comprada pela Verizon em 2015) não possuem.

Para Walden, estes nomes podem trazer uma força adicional a marcas de conteúdo já pertencentes ao portfólio da AOL, como Endgadget e Techcrunch, assim como podem trazer novos produts à grade de conteúdos que a telecom pretende formar.

PECHINCHAS, CUPONS, COISAS GRÁTIS? Participe do nosso GRUPO DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

"O negócio faz muito sentido estrategicamente. Não vamos pular cegamente de um penhasco", afirmou Walden ao comentar sobre dúvidas na compra do Yahoo e uma possível desistência do negócio.

Recentemente, a transação entre Verizon e Yahoo foi ameaçada por escândalos envolvendo a empresa adquirida. Em setembro, pouco tempo depois de ter sido comprado pela Verizon, o Yahoo anunciou uma brecha de segurança envolvendo mais de 500 milhões de contas em seus serviços. Para completar, um mês depois a empresa foi envolvida em uma denúncia de ter revelado dados de milhares de seus usuários para agências de espionagem nos Estados Unidos.

Nestas ocasiões, a Verizon afirmou que isto poderia ter impactos na transação de compra, chegando inclusive a pedir um desconto de US$ 1 bilhão no valor a ser pago. Apesar disso tudo, Walden não acredita que a transação deva cair, já que agora a alta cúpula da Verizon está acompanhando o negócio de perto.

"Nós certamente gostaríamos que isso seja resolvido rapidamente", afirmou Walden, que espera ver a compra ser concluída em cerca de dois meses.

Fonte: CNET

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.