Vendas da segunda geração do Moto X estão suspensas em Minas Gerais

Por Redação | 13 de Novembro de 2015 às 20h31

A segunda geração do Moto X, smartphone da Motorola, está com as vendas suspensas em todo o estado de Minas Gerais. A decisão partiu do Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-MG), órgão do Ministério Público do estado (MPMG), que instaurou um processo administrativo contra a Motorola Mobility Comércio de Produtos Eletrônicos Ltda, com medida cautelar que suspende a venda dos aparelhos por tempo indeterminado, até que a companhia divulgue em seu website um comunicado público esclarecendo os fatos.

De acordo com Amauri Artimos da Matta, promotor de Justiça de Defesa do Consumidor, a decisão se baseou em três motivos principais. O primeiro é pelo fato da empresa colocar no mercado um produto com vício de qualidade, não correspondendo ao que foi anunciado previamente. “Há evidências de que o celular Moto X (2ª Geração) apresenta vício de qualidade, pois a tela não suporta impacto e quebra ao cair de baixa altura, diferente do que é divulgado pela Motorola”.

A segunda razão é a falta de comunicação por parte da empresa com os consumidores, completada pela terceira, que diz respeito à assistência técnica do aparelho. O fabricante tem recusado prestar a assistência gratuita, mesmo durante o período da garantia, alegando mau uso do produto (queda acidental). “Essa prática é abusiva, pois o fabricante está fugindo de sua responsabilidade, o que é proibido pelo Código de Defesa do Consumidor”, explicou o promotor.

As vendas permanecerão suspensas até que a Motorola publique em seu site um comunicado esclarecendo os fatos, e a decisão também determina que este comunicado deverá permanecer online pelo tempo necessário ao atendimento das necessidades de todos os consumidores lesados. É esperado que a companhia informe qual a forma correta de enviar o smartphone à assistência técnica autorizada para a inspeção do aparelho, deixando claro que os custos serão assumidos pela empresa, além de esclarecer também quais são seus critérios para atender à demanda de reparos.

O jornal Estado de Minas procurou a Motorola, que afirmou ter divulgado que a tela do Moto X Segunda Geração era apenas mais resistente a riscos, não sendo resistente a quedas. “Em momento algum a empresa comunicou que o produto trazia uma tela mais resistente a queda ou quebra”, afirmaram.

Segue a nota da empresa, na íntegra:

"O maior compromisso da Motorola Mobility é a satisfação de seus consumidores. Oferecer produtos com alta tecnologia, excelência em qualidade e serviços que atendam às necessidades do público, são as prioridades da companhia.

A empresa preza pela transparência em suas comunicações e afirma que as informações divulgadas pela marca sobre o modelo MOTO X (2ª Geração), lançado em 2014, mencionavam que a tela deste aparelho é mais resistente a riscos. Em momento algum, a empresa comunicou que o produto trazia uma tela mais resistente a queda ou quebra.

A Motorola vai analisar todas as questões envolvidas para entender o caso e vai prestar todas as informações e esclarecimentos necessários ao Ministério Público.

Queremos reforçar que todos os outros produtos da Motorola continuam à venda normalmente no Estado de Minas Gerais, incluindo os smartphones da 3ª geração que chegaram recentemente ao mercado".

Fonte: Estado de Minas

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.