Venda de televisores cai 39% no primeiro semestre de 2015

Por Rafael Romer | 20 de Julho de 2015 às 12h25

A venda de televisores no mercado brasileiro caiu 39% no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, revelou a pesquisa anual de vendas do setor de produtos eletrônicos da Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletrônicos (Eletros).

Pertencentes à chamada "linha marrom", os televisores foram os produtos que observaram maior queda no setor, com apenas 4,85 milhões de unidades vendidas neste ano. No ano passado foram vendidos um total de 14,99 milhões de televisores, sendo 7,93 milhões deles somente no primeiro semestre.

A queda nas vendas é atribuída a dois fatores principais: além da atual crise econômica que impacta diretamente o consumidor, há também uma queda esperado das vendas decorrente das compras elevadas do ano passado. "Esse número foi afetado pela Copa do Mundo do ano passado", avaliou Lourival Kiçula, presidente da Eletros, durante a apresentação da pesquisa no evento do setor Eletrolar, que acontece nesta semana em São Paulo. "Pode ser que a gente tenha alguma recuperação, mas o setor tem uma preocupação de como vai ficar este ano".

Segundo Kiçula, a recuperação poderia acontecer pois televisores são produtos considerados "mais sensíveis" pelo consumidor brasileiro e normalmente são substituídos com frequência quando novas tecnologias chegam. Além disso, há uma expectativa que o desligamento do sinal analógico de televisão no Brasil também tenha um impacto positivo nas vendas de novos aparelhos.

Apesar de menos acentuadas, outras categorias de produtos eletrônicos também observaram queda no primeiro semestre deste ano. A chamada Linha Branca, que reúne produtos como fogões, refrigeradores e lavadoras teve uma queda de 11% nas vendas neste semestre em relação ao mesmo período de 2014. No total, foram 7,43 milhões de unidades vendidas, contra 8,3 milhões no primeiro semestre no ano passado.

O setor dos eletroportáteis, que reúne eletrodomésticos como processadores, aspiradores, cafeteiras e ferro de passar também viu uma redução de vendas considerável no período. No total, foram vendidas 20,6 milhões de unidades no primeiro semestre de 2015, uma diminuição de 19% em relação ao mesmo período do ano passado, quando 25,6 milhões de unidades haviam sido vendidas.

Segundo Kiçula, a expectativa é que o segundo semestre seja melhor para o setor. Normalmente, o segundo período do ano é responsável por 60% das vendas de eletrônicos, em relação ao primeiro semestre do ano. Para o executivo, no entanto, a projeção é que o período deste ano deva responder por entre 70% e 80% das vendas de 2015, o que poderia recuperar as perdas do setor.

"Os setores estão se remodelando, a linha branca está fazendo novos lançamentos e portáteis também", afirmou Kiçula. "Temos uma forte esperança de que o mercado vá crescer, sim. É normal que cresça no segundo semestre".

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.