Vale do Silício se une contra decisão de Trump de encerrar programa para ilegais

Por Redação | 05 de Setembro de 2017 às 16h23

O Vale do Silício deixou a competição acirrada por usuários, novos produtos e inovação para unir voz contra a decisão do presidente norte-americano, Donald Trump, de acabar com um programa que protege jovens que vivem ilegalmente no país. 

O ponto da questão foi o anúncio da adminstração Trump que informou que o DACA (Deferred Action for Childhood Arrivals, ou ação diferida para chegadas na infância, na tradução livre) será encerrado.

Criado por Barack Obama em 2012, esse programa permite que jovens que entraram nos EUA antes dos 16 anos de forma ilegal permaneçam no país sem correr o risco de serem deportados. Eles podem trabalhar e ter um número de seguro social (o equivalente ao nosso CPF).

A decisão determina que o programa seja encerrado em seis meses, o que afetará cerca de 800 mil dreamers (sonhadores), como são conhecidas as pessoas do DACA. Os executivos de empresas como Apple e Facebook disseram que, a menos que o Congresso tenha uma solução legislativa, o fim do programa afetará a economia e a força de trabalho.

Quando a notícia vazou no fim da semana passada, dezenas de empresas de tecnologia escreveram uma carta, distribuída pelo grupo de lobby FWD.us.

"Estamos incrivelmente decepcionados com a decisão do presidente Trump de encerrar o DACA em seis meses, o que forçará 800 mil sonhadores a deixarem seus empregos e ficarem sob ameaça de deportação (...) Os sonhadores são estudantes, professores, enfermeiros e engenheiros. Eles são jovens que vieram a este país ainda crianças, e a maioria só conhece a América como casa", diz um trecho da carta.

Reação nas redes sociais

Mark Zuckerberg escreveu um post no Facebook para protestar contra a decisão: "Este é um dia triste para o nosso país. A decisão de encerrar o DACA não é somente errada. É particularmente cruel oferecer aos jovens o sonho americano, encorajá-los a sair das sombras e confiar no nosso governo, e depois puni-los por isso".

Já o CEO da Apple, Tim Cook, escreveu uma carta para os funcionários da empresa. No texto, ele relata histórias contadas por pessoas que se beneficiam do DACA. "Os sonhadores que trabalham na Apple podem ter nascido no Canadá, no México, no Quênia ou na Mongólia, mas a América é o único lar que já conheceram. Eles cresceram em nossas cidades e conquistaram diplomas em faculdades por todo o país. Eles agora trabalham para a Apple em 28 Estados", escreveu o executivo.

Algumas histórias ganham contornos muito pessoais, como a do CTO da Uber, Thuan Pham, que relatou que sua família fugiu do Vietnã quando ele tinha 10 anos para ser acolhida nos Estados Unidos.

Executivos da Lyft, Google ("Sonhadores são nossos vizinhos, nossos amigos e colegas de trabalhos. Este é seu lar. O Congresso precisa agir para defender o DACA", tuitou o CEO Sundar Pichai), Microsoft, AirBnb, Salesforce, eBay, IBM e Y Combinator se manifestaram nas redes sociais em defesa do programa e pedindo uma solução ao Congresso.

Fonte: Buzzfeed

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.