Uber quer comprar carros autônomos da Tesla

Por Redação | 08.07.2015 às 08:34

Se os motoristas de táxis e outros veículos já estão bastante irritados com o Uber hoje, imagine quando o sonho do CEO Travis Kalanick for concretizado e o serviço tiver uma frota de milhares de carros autônomos pelas ruas das principais cidades do mundo. Sim, é exatamente isso que o executivo deseja fazer ao declarar que gostaria de comprar toda a produção de veículos que dirigem sozinhos da Tesla Motors até 2020.

Desde que as legislações permitam e todas as pesquisas e testes corram como o planejado, a ideia da montadora de veículos elétricos é fabricar até 500 mil carros autônomos nos próximos cinco anos. A expectativa é que, até lá, eles estejam presentes em números significativos em algumas das principais capitais do mundo, e parece que, se depender do Uber, o transporte de passageiros será sua principal finalidade.

O comentário foi breve e nem mesmo feito diretamente por Kalanick. Em uma matéria da revista americana Forbes sobre previsões de executivos para o futuro do mercado de tecnologia, o diretor do Uber foi citado por Steve Juvertson, da firma de investimentos Draper Fisher Juvertson (DFJ), em um comentário sobre como a cultura automotiva, sobretudo nos Estados Unidos, pode estar chegando ao fim devido ao intenso trânsito das cidades e a uma maior consciência sobre o meio ambiente.

Parece mesmo algo que ele diria. O executivo é conhecido por suas decisões ousadas e por gerenciar um modelo de negócios que desafia as tradições, mas não dá para saber ao certo até que ponto ele estava falando sério, já que a fala vem solta e sem muito contexto, além de representar a ideia de que a companhia de transporte também está de olho nas mudanças do mercado automotivo.

Além de encarar de frente a resistência de taxistas e outros segmentos de transporte, Kalanick sabe que os motoristas podem ser uma fonte de gastos para o Uber, afinal de contas, a cada corrida, uma porcentagem precisa ser paga a eles. Veículos que se dirigem sozinhos podem mudar esse quadro e se tornarem, de maneira não literal, uma mão na roda principalmente para as variações da plataforma, como os serviços de entrega de mercadorias e alimentos.

Não dá para saber ao certo se a Tesla, antes mesmo de começar sua produção em massa de carros autônomos, já conta com um novo cliente. Além da montadora, outras empresas como o Google, por exemplo, também estão investindo na tecnologia, apesar dela ser a única a efetivamente pensar em uma fabricação de carros do tipo em uma escala maior.

Ainda, uma parceria entre o Uber e a Tesla não é nenhuma novidade. As duas empresas já trabalharam juntas em experimentos e, na cidade de Hong Kong, a plataforma de transportes tem alguns carros elétricos da montadora em sua frota do serviço Black, focado nos carros de luxo.

Fontes: Forbes, Slash Gear