Uber quer ajudar na aposentadoria dos motoristas

Por Redação | 24 de Agosto de 2016 às 17h04

A chegada dos carros autônomos pode parecer uma realidade distante para muita gente, mas para o Uber, é um acontecimento para breve. E, por conta disso, a empresa iniciou, nos Estados Unidos, um programa de parcerias para que seus motoristas possam se preparar para o futuro, iniciando poupanças, investimentos e planos de previdência privada.

A parceria é com a Betterment, uma empresa especializada em planejamento financeiro, e estará disponível inicialmente nas cidades de New Jersey, Boston, Chicago e Seattle. A ideia, entretanto, é expandir o programa para todas as praças onde o Uber atua nos Estados Unidos, assim como trabalhar com companhias de outros países para que o mesmo programa seja disponibilizado também internacionalmente.

Nos EUA, por exemplo, os planos não possuem tarifas no primeiro ano de associação e os motoristas contam com um time de conselheiros dedicados a auxiliarem na criação de contas para a aposentadoria e o planejamento financeiro para o futuro. Todo o processo pode ser iniciado pelo próprio aplicativo do serviço de transportes e os custos desse tipo de consultoria também serão assumidos por ele.

O lançamento da novidade tem a ver com uma das principais posturas do Uber nos últimos tempos, que não se faz de rogado ao afirmar que trabalha ativamente na construção de uma frota de carros autônomos. E se antes a expectativa do CEO Travis Kalanick era de que essa substituição aconteceria nos próximos anos, a companhia surpreendeu a todos com a informação de que seus primeiros carros que se dirigem sozinhos começarão a rodar pelas ruas de Pittsburgh, também nos EUA, já nas próximas semanas.

Trata-se, claro, de uma etapa de testes e de um plano piloto que ainda deve levar algum tempo para ser consolidado. Por outro lado, o Uber sabe que, para os motoristas, pode ser a hora de começar a se prevenir, uma vez que a empresa acredita que a transição é inevitável. Desde 2014, Kalanick previa que o faturamento anual de motoristas da plataforma começaria a diminuir, entretanto, ninguém esperava que isso poderia começar a acontecer já nos próximos meses e anos.

Enquanto trabalha para entregar esse tipo de parceria para seus colaboradores, a empresa enfrenta um gigantesco processo judicial no estado americano da Califórnia, onde uma associação de motoristas deseja criar mais vínculos entre a empresa e os funcionários. Eles rejeitam a noção de que o Uber é uma empresa de tecnologia e o rótulo de “contratados independentes”, algo semelhante a um freelancer, e exigem benefícios e garantias relacionadas a um contrato tradicional de emprego. Um acordo no valor de US$ 100 milhões, que deveria encerrar a batalha, foi negado na última semana.

Fonte: Uber

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!