Uber perde cerca de US$ 1,2 bilhão no primeiro semestre de 2016

Por Redação | 25 de Agosto de 2016 às 12h13

A Uber é uma gigante no segmento de transportes, mas seu sucesso nem sempre significa que não há perdas de lucros. O diretor de finanças da empresa, Gautam Gupta, informou, na última semana, os investidores que a empresa teve uma queda significativa nos lucros - até mesmo nos Estados Unidos, onde tem sido bem-sucedida.

No primeiro trimestre deste ano, a Uber perdeu US$ 520 milhões ante taxas, depreciação e amortizações de acordo com pessoas próximas à empresa. Segundo a Bloomberg, no segundo trimestre as perdas excederam US$ 750 milhões, incluindo uma drástica queda de US$ 100 milhões nos Estados Unidos. Somadas, as cifras totalizam um prejuízo de US$ 1,27 bilhão somente neste ano.

"Você não vai encontrar muitas empresas de tecnologia que possam perder este tanto de dinheiro tão rapidamente. Para uma empresa privada conseguir tanto capital quanto a Uber foi capaz é sem precedentes", disse Aswath Damodaran, professor na New York University.

Gupta aponta que os subsídios aos motoristas são a maior causa das perdas globais, mas o porta-voz da companhia não quis comentar. A Uber também apontou que isso pode mudar quando acrescentarem a contribuição do UberPool às receitas na empresa.

Conforme o crescimento e expansão da empresa foi acontecendo, os números de perdas e ganhos oscilou muito. Em 2015, a empresa perdeu cerca de US$2 bilhões em juros, taxas, depreciação e amortização. E ainda de acordo com a Bloomberg, a empresa de transportes perdeu em todo seu tempo de existência por volta de US$4 bilhões. Em comparação com outras empresas, a Amazon.com, por exemplo, é conhecida por perder dinheiro ao mesmo tempo que cresce seu valor de mercado e chegou a perder US$1,4 bilhão em 2000, valor ainda assim, inferior ao que o Uber perdeu em 2015.

"É muito raro uma empresa perder grandes quantias de dinheiro enquanto tenta se estabelecer no mercado e batalha por sua quota de mercado", afirmou o professor de direito e administração da Universidade de Stanford, Joe Grundfest. "O desafio interessante para eles é se tornar rentável, entidades com fluxo de caixa positivo", disse.

Em julho, a empresa fez um acordo com sua rival chinesa Didi Chuxing, que deu à Uber 17,5% das ações e US$ 1 bilhão em investimentos em troca da interrupção de suas atividades no país. Em apenas dois anos, a Uber perdeu pelo menos US$ 2 bilhões no mercado chinês, mas, de acordo com a empresa, novas perdas no país asiático não aparecerão a partir do balanço do mês de agosto.

A startup de transportes já angariou mais de US$ 16 bilhões em crédito e está avaliada em US$ 69 bilhões, com US$ 8 bilhões no banco e uma promessa de mais US$ 1 bilhão a ser recebido da Didi Chuxing.

Fonte: Bloomberg

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!