Uber já está funcionando em Natal

Por Redação | 26.08.2016 às 15:39

Natal é a mais nova cidade brasileira a receber os serviços do Uber. A plataforma iniciou seus trabalhos na capital do Rio Grande do Norte às 14h desta sexta-feira (26). Por enquanto, apenas a categoria UberX está disponível, trazendo tarifas mais baratas e a possibilidade de andar em carros comuns, que não necessariamente precisam ser de luxo nem pretos.

Em Natal, a tarifa inicial é de R$ 2,50, com acréscimos de R$ 0,17 por minuto de utilização e R$ 1,20 por quilômetro rodado. O preço mínimo para corrida, entretanto, é de R$ 6, o que significa que, mesmo obtendo um total menor, este é o valor que o usuário vai pagar. A taxa de cancelamento é a mesma, aplicada quando um passageiro desistir de andar após alguns minutos do chamado original.

No restante, o funcionamento é o mesmo das outras regiões do país. As corridas são chamadas a partir de um aplicativo próprio. O motorista que aceitar a corrida recebe apenas o endereço onde o passageiro está, e conhece o destino somente após encontra-lo. Sistemas como as contas familiares e a divisão de custos de corrida também estão disponíveis em Natal, bem como o sistema de avaliação com estrelas, tanto para colaboradores quanto para usuários.

E como não poderia deixar de ser, o Uber chega à capital potiguar causando polêmica, com três projetos em andamento na Câmara Municipal para proibir seu funcionamento. Nenhuma das propostas de legislação foi votada até o momento e, para a próxima terça-feira (30), está marcada uma audiência pública para discutir não apenas o Uber, mas todos os aplicativos de transporte desse tipo.

O presidente do Sindicato dos Condutores de Táxi do Rio Grande do Norte, Wdarlan Rodrigues, repete o discurso de líderes de outras cidades, alegando que o Uber representa uma concorrência ilegal pois seus motoristas não estão sujeitos às mesmas taxas que os condutores de praça. Por outro lado, afirma que a categoria não vai realizar protestos, mas sim, pressionar os vereadores pela aprovação de projetos que possam proibir o funcionamento do serviço na capital.

O Uber, como sempre, responde a alegações como essa afirmando que opera um serviço de tecnologia, e não de transportes, sendo assim, não está sujeito às mesmas regulamentações e taxas dos taxistas. Além disso, a companhia refuta as afirmações de que estaria operando uma concorrência desleal, pois acredita prestar um serviço diferenciado.

Fonte: Globo.com