Uber inclui opções mais acessíveis para motoristas surdos

Por Redação | 19 de Abril de 2016 às 16h22
photo_camera Divulgação

O Uber liberou nesta semana uma série de atualizações focadas em um grupo bastante específico de trabalhadores: os motoristas surdos. As medidas de inclusão substituem os avisos apenas sonoros por sinais luminosos, enquanto os usuários são informados de que serão atendidos por alguém com tal condição.

A ideia é tornar todo o sistema mais acessível e menos complexo para todos os envolvidos. Os motoristas, por exemplo, reclamavam que não podiam ouvir as notificações, por motivos óbvios, e confiar apenas na notificação por texto os obrigava a manter os olhos sempre na tela. Isso sem falar no constrangimento de informar aos passageiros sobre a própria surdez enquanto eles, sem sucesso, tentavam se comunicar por voz.

Agora, tudo muda. Os clientes são informados de forma antecipada sobre isso e opções de comunicação por voz, como ligações, são desabilitadas, restando apenas o envio de mensagens de texto. O Uber trabalhou ao lado de organizações voltadas ao atendimento de surdos para chegar aos sistemas que entraram em vigor com uma nova atualização, por enquanto, exclusiva para os Estados Unidos.

No país, o serviço afirma ter “milhares” de motoristas surdos ou com algum tipo de dificuldade de audição, e afirma que muitos deles encontraram no Uber a oportunidade de emprego e pagamentos que não possuíam em outros trabalhos. A inclusão e a acessibilidade, diz a companhia, também são peças-chave de seu relacionamento com os clientes e trabalhadores, uma vez que ela tem times fluentes em linguagem de sinais para atendimento presencial e suporte, além de produzir vídeos institucionais e educacionais nesta mesma linguagem para recrutamento.

Enquanto isso, muitos apoiadores de pessoas com deficiências acusam o Uber e seus concorrentes, como o Lyft, de não saberem tratar com essa questão. ONGs querem trabalhar com o governo em prol de regulamentações que obriguem a presença de uma frota 100% acessível, enquanto as empresas são processadas devido a motoristas que se recusaram a transportar cadeirantes ou cegos acompanhados de cão-guia. O suporte aos surdos é um começo, afirma a companhia, que deseja estender esse tipo de apoio a todos.

Por enquanto, a atualização vale apenas para os Estados Unidos. Para o Brasil, não há previsão. A estimativa do DETRAN é de que existam cerca de 10 mil motoristas surdos no país, com os deficientes sendo perfeitamente capazes de tirar a carteira de motorista. Entretanto, eles devem também utilizar um aviso visual no carro indicando sua condição.

Fonte: The Verge

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.