Uber admite ter encontrado documento roubado da Wayno em PC de funcionário

Por Redação | 06 de Abril de 2017 às 08h31
photo_camera Divulgação

A Uber está sendo acusada de utilizar tecnologia da Alphabet em seus carros autônomos. De acordo com as informações, o executivo Anthony Levandowsky teria baixado mais de 14 mil documentos confidenciais da Waymo - responsável pelo gerenciamento dos veículos de autocondução da Alphabet - antes de deixar a empresa e seguir carreira na Uber.

Até então a Uber vinha declarando que as acusações da Waymo eram infundadas, mas nesta quarta-feira (5) a história ganhou novos capítulos. Segundo publicações da imprensa internacional, a Uber admitiu hoje que encontrou um dos documentos roubados no computador pessoal de Sameer Kshirsagar, outro executivo acusado pela Waymo.

Essa é a primeira vez que a companhia reconhece que um dos documentos da Waymo está, de fato, na posse de um de seus empregados. Apesar disso, a Uber fez questão de enfatizar que o documento não foi encontrado nos dispositivos da empresa.

Para provar sua inocência, a empresa de corridas particulares afirmou ter entrevistado 85 funcionários (tanto atuais quanto antigos), sendo 42 deles colaboradores da divisão automotiva. "Acredito que vamos mostrar a vocês que esses 14 mil arquivos nunca chegaram à Uber", disse Arturo Gonzalez, advogado da companhia.

Fonte: TechCrunch

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.