Três motivos para sua instituição de ensino sair do analógico

Por Colaborador externo | 31 de Julho de 2017 às 20h05
photo_camera DepositPhotos/bloomua

Por Luiz Afonso Ardito*

Muito se previu sobre o uso de novas tecnologias no setor da educação. Segundo o Gartner, por exemplo, instituições de ensino superior estavam, em 2016, deixando de focar em reduzir custos e melhorar a eficiência para usar recursos tecnológicos a fim de melhorar suas vantagens competitivas. A previsão da empresa de pesquisas era de que os gastos globais em tecnologia no ensino superior chegassem a US$ 38,2 bilhões no ano passado.

Embora essa área seja considerada um tanto conservadora, é cada vez mais iminente que as instituições de ensino precisam se adaptar à transformação digital, assim como qualquer indústria. No entanto, no caso do setor educacional, não só os negócios são colocados em risco quando a inovação é ignorada, mas também a gestão eficiente de alunos e professores.

São várias as novas tecnologias que estão sendo utilizadas pelo setor – seja com ensino a distância, aplicativos móveis de comunicação entre a instituição e os alunos, ferramentas de colaboração, aprendizagem personalizada, aplicações multimídia ou mesmo jogos epistêmicos. Abaixo, listo três motivos pelos quais as instituições educacionais não devem ignorar a transformação digital.

  1. Atualmente, alunos de 11 anos ou menos até estudantes universitários usam smartphones a toda hora. Isso abre uma janela para um ensino “24-7”, ou seja, o estudante pode usar seu dispositivo móvel para aprender a qualquer hora e em qualquer lugar que escolher. Por meio de aplicativos projetados para o ensino, os professores podem disponibilizar textos, jogos e vídeos para os alunos estudarem. Dessa forma, também é possível disponibilizar conteúdos mais personalizados, permitindo ao estudante aprender em seu próprio ritmo.
  2. Da mesma maneira, a instituição pode usar uma aplicação móvel como um canal de comunicação fácil, intuitivo e rápido para os alunos. A escola pode enviar comunicados, disponibilizar notícias, divulgar eventos, enquanto o aluno pode ver os horários de aula, prazos de entrega de trabalho e datas de provas, se informar sobre notas, gerenciar faltas e mensalidades, além de enviar opiniões, sugestões e reclamações para a instituição.
  3. Utilizar a tecnologia para melhorar o modo de ensino não só estimula os estudantes, como também os torna tecnologicamente hábeis, e portanto, os prepara melhor para o mercado de trabalho moderno. As aplicações tecnológicas usadas em classe podem ser formas de empoderamento dos alunos para realizar trabalhos mais complexos e mais criativos.

Por sua própria natureza, a tecnologia evolui de forma muito rápida, e implementar essas mudanças para alunos e professores, em uma área tão importante, é um desafio constante. Mas não seguir essa transformação digital não é mais uma opção viável. As soluções tecnológicas podem ser simples, desde que o fornecedor entenda os requisitos do negócio e os integre com as necessidades dos alunos, pais e professores, tornando-os parte do processo rumo a uma educação melhor.

*Luiz Afonso Ardito é Gerente Comercial na Art IT.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.