Totvs quer usar Inteligência Artificial para ser o cientista de dados das PMEs

Por Rafael Romer | 28 de Agosto de 2016 às 11h12

Desde 2012, a desenvolvedora brasileira de software Totvs mantém ativo seu próprio laboratório de inovação no Vale do Silício, o Totvs Labs. A iniciativa começou originalmente como um projeto gestado dentro da Universidade de Stanford e hoje já possui 15 colaboradores dedicados.

O laboratório atende a duas necessidades estratégicas da empresa: o desenvolvimento de novos negócios, através de P&D de tecnologias que permitam à companhia entregar novas ofertas ao mercado; e a melhoria das ofertas atuais da Totvs, buscando principalmente trazer elementos de experiência de usuário do mercado consumidor para os produtos enterprise da organização.

Desde o ano passado, no entanto, ambas frentes se uniram ao redor do novo objetivo principal de desenvolver as ferramentas de Inteligência Artificial (AI), que futuramente serão embarcadas nativamente nas soluções da Totvs.

Com o projeto, a empresa busca adicionar uma nova camada de inteligência às suas ofertas tradicionais, como sistemas de gestão (ERP) e a plataforma de produtividade Fluig. A ideia, é que com uma IA embutida, aplicações da empresa possam ganhar novas capacidades que permitam tomadas de decisão de negócio mais assertivas baseadas principalmente em correlações automáticas de dados e geração de insights.

Para diferenciar sua oferta de Inteligência Artificial, a Totvs também tem buscando tornar o sistema o mais simples possível para interação do usuário. Isso inclui, por exemplo, o fornecimento de informações mais compreensivas do porquê a IA está indicando determinado insight de negócio ao usuário. Ou seja, no sistema da companhia, cada sugestão dada pela rede neural será justificada para que o usuário possa avaliar a motivação.

A interface simples deverá ser uma dar armas da companhia para que o sistema ganhe espaço entre o setor, que atualmente é a principal força da Totvs no mercado nacional de PMEs. "A gente quer automatizar o trabalho de cientistas de dados, porque as PMEs, que são o DNA da Totvs, não terão condições de achar e contratar esse profissional no futuro", explicou Vicente Goetten, diretor executivo e gerente geral do Totvs Labs.

A tecnologia já está na fase de desenvolvimento. Apelidada de Consumer Developer Program, ela busca validar o produto em projetos pilotos com clientes selecionados. A Totvs não revela o número de testes em andamento, mas entre eles está um representante da indústria farmacêutica, que avalia a tecnologia para identificação de quais os médicos com maior probabilidade de receitarem seus produtos a pacientes. Também há pilotos nas áreas de varejo, manufatura e logística.

Conforme os resultados observados dos primeiros pilotos, a expectativa é que a partir do início do ano que vem a empresa já comece a disponibilizar as ferramentas desenvolvidas no Labs para os clientes.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.