Tim se prepara para a consolidação do mercado de telecomunicações

Por Nathan Vieira | 31 de Julho de 2019 às 15h15

Nesta terça-feira (31), durante uma conferência, Pietro Labriola, o presidente da TIM, apresentou as medidas tomadas para preparar a empresa diante da futura consolidação do mercado brasileiro de telecomunicações. Sendo assim, a área financeira da operadora brasileira está sendo preparada para a exploração de oportunidades que sejam capazes de aumentar o valor aos acionistas da empresa. A principal medida, por enquanto, é o compartilhamento de infraestrutura com a Vivo, uma concorrente direta.

Tendo essa proposta de acordo com a Vivo em mente, Labriola afirmou: "Este MOU nos dá oportunidade de aumentar a rede de forma eficiente. A consolidação de mercado que parece que vai acontecer pode nos dar a oportunidade de ter a opção. O segundo semestre pode trazer várias surpresas. Será um período muito interessante". O executivo assumiu a presidência da operadora em abril deste ano.

Além disso, o presidente da TIM também afirmou que, em contraste com o ambiente macroeconômico brasileiro e a concorrência acirrada, como a Oi e a Nextel, a TIM foi capaz de apresentar bons números, que lhe permitem o investimento em novos mercados. A operadora presidida por Labriola também tem a oferta de serviços IoT para a área rural do país e para carros conectados como uma de suas grandes apostas.

Os números robustos da TIM

TIM apresentou crescimentos consideráveis, de 2018 para 2019

No segundo trimestre do ano, a operadora contou com lucro líquido de R$ 423 milhões, o que chegou a representar 26% a mais do que o que foi registrado no segundo trimestre do ano passado. O Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) alcançou um total de R$ 1,6 bilhão, o que leva a perceber um crescimento anual de 6,2%. Por sua vez, a margem Ebitda passou para 37,9% com aumento de 1,4 ponto percentual da registrada no segundo trimestre de 2018.

Já a receita líquida da TIM chegou, nesse mesmo período de 2019, a R$ 4,2 bilhões, apresentando crescimento de 2,4% comparado com o mesmo período em 2018. Sendo assim, é possível concluir que, por mais um trimestre, existiu uma contribuição positiva de todos os segmentos: serviço móvel, serviço fixo e produtos. Além disso, a receita líquida de serviços também apresentou uma subida de 2,4% ao ano no segundo trimestre de 2019, o que é uma verdadeira aceleração diante do que foi o primeiro trimestre do ano.

Dentre os crescimentos da operadora brasileira, destaca-se também o de 11,8% da base de cliente pós-pago, que já representa 38,8% do total. O avanço de 19,7% da base de clientes TIM Live, totalizando 507 mil conexões, também é um destaque para a empresa.

Fibra Ótica

De acordo com o presidente da operadora, “a TIM é a que está melhor preparada para explorar os novos serviços, porque tem o menor nível de rede legada e também a que oferece a menor latência”. Vale ressaltar que a TIM também decidiu colocar em prática a aceleração dos investimentos na fibra ótica, com direito a novas 5 cidades que foram cabeadas nesse segundo trimestre de 2019 o que traz um total de 17 cidades onde a TIM está presente, algumas até mesmo fora do eixo Rio-São Paulo.

Fonte: Tele Síntese (1, 2)

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.