Cook se manifesta novamente sobre as acusações de acordos ilegais com a Irlanda

Cook se manifesta novamente sobre as acusações de acordos ilegais com a Irlanda

Por Redação | 01 de Setembro de 2016 às 19h12
Divulgação

No início desta semana, a Apple foi acusada pela Comissão Europeia de deixar de pagar mais de € 13 bilhões em impostos para a Irlanda. A empresa imediatamente refutou qualquer ação ilegal por parte dela e já afirmou que próprio governo da Irlanda vai tentar reverter essa medida. Hoje, Tim Cook, CEO da Apple, se manifestou novamente sobre o caso na imprensa irlandesa.

Cook não se conteve muito com as palavras e disse que o imposto de 0,005% informado pela Comissão é falso e a acusação é uma “porcaria de cunho político”. Ele disse que, na verdade, a Apple pagou US$ 400 milhões para a Irlanda e acredita que a empresa tenha sido a maior pagadora de impostos no país naquele ano. Além disso, afirmou que a empresa sempre trabalhou com a taxa de 12,5% aplicada a todos os países, desconhecendo qualquer acordo diferenciado.

O CEO da Apple diz que continuará com os seus planos de expansão da empresa na Irlanda como já havia previsto, incluindo a inauguração de um novo centro de dados muito em breve, independente dos problemas tributários. Ele afirmou que ninguém fez nada de errado e que a parceria entre a empresa e a Irlanda vai continuar. “Nossa parceria não foi nem um pouco afetada, estamos totalmente comprometidos com a Irlanda. A equipe está fazendo um trabalho incrível com a Apple e nós vamos avançar com os investimentos previstos”, afirmou Cook.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Enquanto isso, oficiais do governo irlandês estão travando uma batalha interna sobre se eles devem ou não começar uma luta contra a União Europeia nos tribunais. Alguns membros da coalizão do governo acreditam que eles devem aceitar esse pagamento de € 13 bilhões como uma forma de injeção de capital em financiamentos públicos.

Cook diz que continua a apoiar uma reforma fiscal em nível mundial, mas que qualquer mudança não deverá acontecer de forma retroativa, como a Comissão Europeia está tentando fazer. Por sua vez, o governo da Irlanda retomará as discussões sobre o próximo passo nesse imbróglio nesta sexta-feira. Ainda não está claro se o país irá recorrer da decisão e nem se a Apple iniciará mais uma longa briga judicial.

Fonte: 9to5mac

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.