Tim Cook diz que Apple não pretende usar dados dos usuários para publicidade

Por Redação | 03 de Junho de 2015 às 09h22

Em um forte discurso à Electronic Privacy Information Center (EPIC) em Washington D.C., nesta segunda-feira (01), o CEO da Apple, Tim Cook, comentou sobre os hábitos de coleta de informações dos usuários por parte do Google e do Facebook, mesmo sem citar os nomes das companhias.

"Estou falando com você do Vale do Silício, onde algumas das empresas mais importantes e bem-sucedidas criaram seus negócios, embalando seus clientes em complacência sobre as suas informações pessoais. Eles estão devorando tudo o que podem aprender sobre você e tentando ganhar dinheiro com isso. Nós pensamos que isso é errado e este não é o tipo de empresa que a Apple quer ser. Então, nós não queremos seus dados", disse o CEO.

Cook, que estava sendo homenageado na EPIC, ainda afirmou que a sua empresa não acredita que valha a pena manter o e-mail, fotos de família ou o histórico de pesquisa do usuário para finalidades publicitárias desconhecidas.

Marc Rotenberg, presidente e fundador da EPIC, confirmou a veracidade dos comentários feitos pelo executivo. Ele ainda disse que o prêmio "Freedom Award", que foi entregue para Tim Cook no evento, já foi dado a Edward Snowden e os senadores Rand Paul e Patrick Leahy e que esta é a primeira vez que a EPIC homenageia um líder de negócios. "O nosso prêmio é o de maior prestígio no mundo da privacidade", disse Rotenberg.

Cook ainda criticou agências governamentais e oficiais da lei que enfraquecem a criptografia ou deixam os acessos disponíveis para os agentes. "Se você colocar uma chave em uma esteira apenas para os policiais, um ladrão pode encontrá-la também. Os criminosos estão usando todas as ferramentas tecnológicas à sua disposição para invadir as contas das pessoas. Se eles sabem que há uma chave escondida em algum lugar, eles não vão parar até encontrá-la", comentou.

O CEO da companhia da Maçã disse que esse problema vai muito além dos dados e publicidade, afirmando que os esforços têm um efeito negativo sobre os direitos da Primeira Emenda.

Esta declaração pública foi uma das mais fortes já feitas por Cook e surgiu em um momento interessante da existência da companhia. Recentemente, a Apple lançou apps como o Health Research, que coleta dados dos usuários para serem usados para os seus serviços. Porém, não há nenhum rastro de interesse da empresa em fornecer anúncios aos seus clientes com base em suas atividades nos dispositivos, ao contrário do que faz o Google e o Facebook.

Cook finalizou o seu discurso afirmando que os usuários não precisam escolher entre privacidade e segurança e disse que nós podemos e devemos fornecer ambos em medidas iguais.

Fonte: Mashable

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.