The Last Guardian teria sido cancelado se não fosse a insistência dos fãs

Por Redação | 02.07.2015 às 13:11

A última E3 teve um gostinho especial para muita gente. Mais do que trazer o aguardado remake de Final Fantasy VII e o retorno de Shenmue 3, o evento marcou também a “ressurreição” de The Last Guardian depois de seis anos desaparecido e de vários rumores sobre seu suposto cancelamento. E, se não fosse os fãs, esses boatos teriam se tornado realidade.

Em entrevista à revista Edge, o presidente da Sony Studios, Shuhei Yoshida, contou que o projeto realmente teria sido engavetado se não fosse a pressão constante dos jogadores ao longo de todo esse tempo. Segundo ele, foram tantos problemas durante o processo de produção que, para a empresa, teria sido mais fácil ter cancelado tudo do que ter dado continuidade àquilo.

Yoshida conta que foi algo bem difícil, principalmente porque ninguém tinha a absoluta certeza de que o jogo poderia ser realmente feito. Eram tantos problemas técnicos ainda na fase inicial de desenvolvimento que foi preciso uma vontade muito grande para continuar com o projeto e refazê-lo quase que do zero quando decidiram abandonar o PS3 para lançá-lo apenas no PS4.

Além do papel importante dos fãs nessa sobrevida de The Last Guardian, o executivo também destacou o papel de Fumito Ueda, criador do jogo e sua principal mente criativa. Responsável por clássicos como ICO e Shadow of the Colossus, ele e sua equipe estavam realmente dedicados a superar todos esses problemas — o que serviu para convencer Yoshida e os outros produtores da Sony. Assim, juntamente com a constante pressão dos jogadores, o game seguiu em desenvolvimento ao longo de todos esses anos.

Tanto que o presidente deixa bem claro que, se o público tivesse deixado a questão de lado e parasse de perguntar sobre ele, certamente a empresa teria optado por cancelar o jogo há muito tempo — o que mostra que, às vezes, é bom ser chato.

Via: Videogamer, IGN