Tela sempre ligada do Galaxy S7 não deve chegar tão cedo a outros smartphones

Por Redação | 22.02.2016 às 08:54
photo_camera Divulgação

O anúncio do Galaxy S7 e Galaxy S7 Edge não trouxe grandes surpresas para quem já vinha acompanhando rumores e vazamentos sobre o aparelho há semanas. Isso não quer dizer, porém, que a sul-coreana não tinha seus segredos escondidos na manga. É o caso da função Always-On, na qual a tela do dispositivo fica constantemente ligada e exibindo informações úteis ao usuário, como data, hora e notificações de mensagem e chamadas perdidas.

O recurso ainda divide opiniões, mas não deve se tornar uma tendência no mercado tão cedo. Segundo alguns rumores, essa função deve permanecer exclusiva da Samsung e limitada apenas aos seus principais aparelhos, como no caso do Galaxy S7 e provavelmente em seus sucessores. Porém, os demais dispositivos da marca devem ficar de fora da novidade, e isso inclui tanto os modelos anteriores — como no caso do Galaxy S6 — e até mesmo daqueles mais modestos que serão lançados daqui para frente.

A razão disso está na tecnologia utilizada para permitir que o Always-On funcione corretamente. À primeira vista, esse recurso parece ser um ralo de bateria, ou seja, uma novidade que vai consumir muita energia do aparelho e fazer com que você precise estar sempre ao lado de uma tomada. Porém, o Galaxy S7 utiliza a tecnologia AMOLED, que permite que apenas os pixels necessários sejam ligados, o que diminui o impacto no consumo. No caso, ao invés de acender todo o display de 5,1 polegadas, o smartphone vai ser esperto de verdade e ativar somente a área do relógio, data e notificações.

Galaxy S7/S7 Edge

E é aí que os modelos anteriores e até mesmo aqueles mais em conta que ainda chegarão ao mercado tropeçam. Como a grande maioria deles ainda utiliza telas de LCD, não há como usar esse pequeno truque para economizar bateria. Assim, caso o Always-On chegasse a esses dispositivos, eles teriam que ligar toda a tela de verdade, mesmo para deixá-la inteiramente preta, e isso iria diminuir bastante a autonomia da bateria. Por conta disso, é pouco provável que tenhamos algo nesse sentido se popularizando tão cedo.

Porém, nada impede que as fabricantes comecem a utilizar mais o AMOLED em vez do LCD, o que permitiria que a função começasse a ser utilizada em outros smartphones. Mesmo assim, cabe ressaltar que esse tipo de tecnologia ainda é cara e essa mudança não deve acontecer tão cedo, permanecendo como um diferencial do Galaxy S7 e de seus sucessores.

Portanto, se você ficou empolgado com essa novidade, é melhor se acostumar com essa ideia de exclusividade.

Via: Übergizmo