Taxistas protestam contra Uber durante gravação de talk show nos EUA

Por Redação | 12.09.2015 às 12:15

Que o Uber vem sendo alvo de protestos em todo lugar, inclusive no Brasil, não é novidade. Mas as manifestações chegaram diretamente ao CEO Travis Kalanick durante a gravação de uma entrevista para o programa Late Show with Stephen Colbert. O executivo foi interrompido duas vezes durante a curta participação no talk show por taxistas que estavam na plateia.

Isso aconteceu pela primeira vez logo que ele entrou no palco e se sentou. Um dos membros da audiência presente se levantou e, gritando, afirmou que Kalanick e o Uber estavam destruindo a indústria de táxis e tirando o emprego dos motoristas de praça. Colbert deixou que o manifestante falasse por alguns momentos, antes de interrompe-lo afirmando que tinha uma pergunta exatamente sobre esse assunto.

Quando questionado, Kalanick afirmou que o Uber apresenta pagamentos melhores para os motoristas e os obriga a pagarem menos taxas. Segundo ele, um taxista hoje em Nova York deve pagar cerca de US$ 40 mil para alugar um carro, e esse dinheiro normalmente vai para os bolsos dos donos de licenças. Em sua plataforma, os motoristas podem usar esse montante para comprar um carro de luxo e trabalhar com mais conforto, proporcionando o mesmo para seus passageiros.

Além disso, ele lembrou a existência de horários flexíveis – é o próprio motorista do Uber que decide quando e onde vai trabalhar – e a possibilidade de usar o carro particular para obter uma renda extra ou atividades de lazer. Kalanick disse que nada impede que um motorista desligue o aplicativo e vá buscar os filhos na escola ou saia com os amigos com o mesmo veículo que usa para trabalhar.

O CEO foi interrompido novamente durante a gravação por um segundo manifestante, afirmando que ele mentia em sua fala. Mais uma vez, Colbert deixou que a fala chegasse ao fim e, de acordo com repórteres presentes na gravação, a segurança não ameaçou, nem retirou os manifestantes do estúdio em momento algum. Ao final, o apresentador se desculpou em nome da plateia para Kalanick, afirmando que existe muito fervor na discussão que ainda acontece em Nova York.

O executivo também comentou sobre outras características do serviço, como a possibilidade de desligamento das tarifas e concessão de corridas gratuitas em momentos emergenciais – algo que ele chamou de “senso de comunidade” –, além de iniciativas como o UberEats, que utiliza os carros da plataforma para entregar comida, e parcerias com a Tesla Motors para criação de uma frota mais sustentável e ecológica.

A entrevista com o CEO do Uber foi parte de um programa que contou também com a presença do vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden. Muito aplaudido, Kalanick brincou afirmando que chegou ao estúdio apenas “pressionando um botão e conseguindo um carro”, afirmando que esse é o futuro da indústria de transportes.

As interrupções, por outro lado, não foram ao ar, mas dá para ter uma noção do momento em que elas aconteceram devido à mudança na expressão de Kalanick, que passa de um tom mais despojado para a seriedade entre o início da entrevista e a realização da primeira pergunta.

Fontes: Business Insider, The Late Show with Steven Colbert (YouTube)