Taxistas promovem barbárie e destroem quiosque da Uber no Santos Dumont (RJ)

Por Redação | 30.11.2016 às 11:29

Quem passou pelo Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, na tarde desta terça-feira (29) viu verdadeiras cenas de barbárie. Armados com porretes, taxistas deixaram um quiosque da Uber completamente destruído. A pauladas, o grupo quebrou duas TVs, duas geladeiras e três carros associados ao aplicativo. Além disso, agrediu um motorista que prestava o serviço e hostilizou diversos passageiros.

"Acabei de passar pela manifestação dos taxistas na saída do Santos Dumont. Não tragam ninguém para cá. Estão quebrando os carros. Bateram no meu carro, disseram que era Uber. Abri o vidro e disse que não era, que ia gravar e mandar para a polícia. Não venham para o Santos Dumont", alertou um motorista do aplicativo em áudio enviado a um grupo no WhatsApp.

O ato criminoso teve início como um protesto contra a decisão da Justiça do Rio de Janeiro, que renovou o funcionamento do Uber na cidade mesmo após a sanção de uma nova lei proibindo o aplicativo. A movimentação, até então pacífica, foi acompanhada de perto por três policiais militares, mas logo se transformou em quebra-quebra. Os policiais ainda tentaram deter os taxistas com spray de pimenta, mas em seguida tiveram de acionar o Batalhão de Choque para reprimir o ataque.

Quiosque da Uber servia de local de espera dos passageiros, que podiam desfrutar de sinal Wi-Fi, água e assistir televisão. Local ficou completamente destruído após quebra-quebra dos taxistas (Divulgação: Uber)

Aberto para a Olimpíada, o quiosque do Uber vinha sendo utilizado como local de espera para clientes. Os funcionários do stand optaram por fechá-lo assim que viram a movimentação dos taxistas. O app, por sua vez, suspendeu seu sinal nas imediações do aeroporto para evitar maiores problemas. As medidas paliativas, contudo, não surtiram efeito.

Ao menos 20 passageiros, que aguardavam motoristas na área de desembarque, também foram ofendidos pelos taxistas. Todos os uber que operavam no aeroporto fugiram do local com medo de serem agredidos.

A situação só foi normalizada ao fim da tarde, com passageiros sendo atentidos em um estacionamento em um anexo do aeroporto.

Em nota, a Uber repudiou a violência dos taxistas na manifestação. "A Uber considera inaceitável o uso de violência. Acreditamos que qualquer conflito deve ser administrado pelo debate de ideias entre todas as partes. Todo cidadão tem o direito de escolher como quer se movimentar pela cidade, assim como o direito de trabalhar honestamente", declarou a empresa.

Via UOL, Extra