Symantec pode vender divisão de certificados online

Por Redação | 12 de Julho de 2017 às 13h30

A Symantec estaria estudando uma venda de sua divisão de certificados online, em um negócio avaliado em cerca de US$ 1 bilhão. O setor é o responsável por garantir que a sites da web realmente pertencem a seus donos por meio de uma validação da criptografia usada. É uma exigência de segurança, principalmente, para serviços que lidam com informações de login ou pagamento de seus usuários.

É, também, um departamento que vem se provando problemático para a Symantec devido a constantes disputas com o Google. A gigante das buscas afirma que a empresa emite certificações a sites que, muitas vezes, não cumprem seus requisitos. Em março, inclusive, a empresa anunciou um rebaixamento na avaliação de confiabilidade das verificações feitas pela companhia, que teria emitido mais de 30 mil documentos fora das normas.

Em resposta, a Symantec disse que as alegações do Google são exageradas e tentam levar os usuários a equívocos. A empresa disse também que não mudaria suas práticas de emissão de certificados, uma vez que não há nada de errado com elas, e que se encontra à disposição para negociações e acertos.

Agora, entretanto, o objetivo seria passar o serviço adiante. A Symantec estaria conversando com companhias do setor de segurança da informação para que trabalhem de forma praticamente exclusiva com a certificação. A grande moeda de troca seria a alta confiabilidade dos serviços prestados até aqui, apesar dos comentários recentes feitos pelo Google.

Foi justamente esse fator, também, que levou a um negócio realizado em 2010, quando a Symantec pagou US$ 1,28 bilhão pelos serviços de segurança digital da Verisign. Entre outras soluções, estava a divisão de certificação, que, agora, teria um valor estimado em US$ 1 bilhão, justamente o preço que a companhia teria colocado diante de potenciais compradoras.

A mudança também faz parte de um novo posicionamento estratégico da Symantec, que vem se focando cada vez mais em serviços para o consumidor e abrindo mão de plataformas que servem ao mundo corporativo. Em janeiro do ano passado, por exemplo, ela vendeu suas operações de cloud computing para a firma de investimentos Carlyle Group por US$ 4,7 bilhões.

Ao mesmo tempo, sob a batuta do CEO Greg Clark, vem investindo pesado na compra de companhias que possam trazer novas soluções ao portfólio. A mais recente, por exemplo, foi a da LifeLock, um sistema de proteção de identidade que é capaz de detectar falhas de segurança e indicar ao usuário caso alguma de suas informações pessoais vazem, alertando-o para a possibilidade de golpes ou invasões.

Os rumores de venda não foram confirmados pela Symantec, que se recusou a comentar o assunto. A identidade das companhias que estariam interessadas na aquisição da divisão de certificação também não foi revelada.

Fonte: Reuters

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.