Spotify adquire startup para melhorar suas recomendações

Por Redação | 28 de Março de 2017 às 11h22

O sucesso de um serviço não vem apenas em oferecer algo que as pessoas querem. Depende também que você saiba o que elas desejam antes mesmo que elas se deem conta disso. E o Spotify percebeu a importância desse poder de “previsão” adquirindo uma startup para otimizar seus acertos e fazer recomendações cada vez mais exatas para os usuários.

O objetivo é, ao se tornar ainda mais certeira, aumentar a fidelidade dos assinantes e, consequentemente, elevar suas receitas em publicidade. Para isso, a empresa adquiriu a MightyTV, uma startup fundada em 2015 que trabalhava com inteligência artificial para aprender mais sobre os hábitos do consumidor em relação a filmes e séries de TV. Em outras palavras, o que o sistema deles fazia era identificar padrões nas preferências do público para fazer um filtro e, a partir disso, apresentar conteúdos mais próximos daquilo que já se sabe que ele gosta.

Para o Spotify, esse refino é fundamental. Pense no acervo que a empresa tem a seu dispor e como as ferramentas da MightyTV podem fazer com que as sugestões se tornem mais condizentes com aquilo que você ouve. Atualmente, as ferramentas que a empresa usa já são bem precisas, mas a tendência é que isso se torne ainda mais certeiro com a nova aquisição.

Como lembra o site português Sapotek, a compra vem na sequência do anúncio de que o número de assinantes do Spotify cresceu consideravelmente em pouquíssimo tempo. Atualmente, o serviço conta com 50 milhões de usuários pagantes, o que representa um crescimento de 25% em apenas seis meses. E, levando em conta que a precisão costuma ser sempre algo muito bem recebido pelo público, é possível que esses números venham a crescer se uma melhora nas sugestões for realmente sentida no futuro.

Nenhuma das duas companhias comentaram detalhes da transação e nem mesmo os valores foram divulgados. No entanto, tão logo o anúncio foi feito, a MightyTV já encerrou suas atividades para fazer parte do corpo do Spotify. Detalhes sobre os frutos dessa junção só devem ser revelados no futuro.

Via: Sapotek