Sony vai fechar fábrica e interromper venda de TVs, câmeras e outros no Brasil

Por Felipe Demartini | 15 de Setembro de 2020 às 10h35
público
Tudo sobre

Sony

Saiba tudo sobre Sony

Ver mais

A Sony anunciou no final da tarde desta segunda-feira (14) o fechamento de sua fábrica no Brasil e o encerramento das vendas de produtos como televisores, câmeras e equipamentos de áudio no país. A notícia cita o ambiente recente do mercado e as tendências esperadas para os negócios da companhia, além de movimentos internacionais da fabricante para fortalecer a estrutura e a sustentabilidade de seus negócios.

De acordo com o comunicado, a fábrica localizada em Manaus (AM) deixa de funcionar em março de 2021, com a comercialização dos produtos indicados acontecendo em algum momento posterior, mas ainda no ano que vem. Outros produtos continuam sendo ofertados no país por meio de distribuidores e importadores parceiros da Sony, assim como toda a oferta da empresa para o mercado de games. O mesmo também vale para outros segmentos, como os de soluções profissionais e distribuição de música e filmes.

A empresa também esclareceu que as operações de suporte, mesmo para os produtos cuja venda será interrompida, continuam de acordo com as políticas de suporte e leis nacionais. O comunicado sobre a mudança nos negócios da Sony no Brasil foi enviado a varejistas e é assinado por Clóvis Letie, gerente sênior de operações da companhia, que também se disponibilizou para agendar reuniões e compartilhar mais detalhes sobre as alterações aos parceiros da fabricante.

A mudança não afeta o PlayStation 5, cujo lançamento está marcado para o final do ano no mercado internacional e ainda sem disponibilidade confirmada no Brasil. Assim como a operação com o PlayStation 4 por aqui, o console chega às nossas mãos por meio de importadores e distribuidores oficiais, em um trabalho que não deve sofrer alterações pelo fechamento da fábrica no Amazonas e o fim das vendas de outros aparelhos de consumo da Sony.

Em contato com o Canaltech, a Sony confirmou as informações sobre o encerramento das vendas de produtos para o consumidos e das atividades de sua planta em Manaus. A companhia afirmou que cuidados especiais serão dados aos colaboradores demitidos, que também terão acesso a todos os direitos devidos, enquanto mantém as operações de games, soluções profissionais e entretenimento audiovisual, bem como os serviços de suporte aos produtos que foram e ainda estão sendo vendidos no mercado nacional.

Confira a íntegra do comunicado:

O grupo Sony sempre adota medidas para fortalecer a estrutura e a sustentabilidade de seus negócios, para responder às rápidas mudanças no ambiente externo. Nós decidimos fechar a fábrica em Manaus ao final de Março de 2021 e interromper, em meados de 2021, as vendas de produtos de consumo pela Sony Brasil, tais como TV, áudio e câmeras, considerando o ambiente recente de mercado e a tendência esperada para os negócios.

A Sony está tomando todas as medidas necessárias e está muito comprometida como empresa em empenhar seus esforços para garantir todos os direitos, o melhor tratamento e cuidados especiais aos seus colaboradores. Sony Brasil continuará a oferecer todo suporte ao consumidor para os produtos sob a sua responsabilidade comercial de acordo com as leis aplicáveis e sua política de garantia de produtos.

Os demais negócios do grupo Sony no Brasil (Games, Soluções Profissionais, Music e Pictures Entertainment) continuarão a manter sua forte atuação no mercado local.

Movimento internacional

A atitude de privilegiar e manter setores de games e entretenimento operando normalmente enquanto reduz outros, como televisores e câmeras, acompanha um direcionamento internacional da Sony já há alguns anos. Em seu balanço financeiro sobre o ano fiscal de 2019, encerrado em março, a companhia viu uma redução de 5% nas receitas e 21% nos lucros, citando, justamente, tais aparelhos de consumo como alguns dos motivos para as quedas.

Também em maio, quando anunciou os resultados, a companhia alertou os investidores sobre uma possível queda de até 30% nos números do atual ano fiscal, que se encerra em março de 2021. Enquanto o PlayStation 5 parece estar em um bom caminho para seu lançamento, smartphones, câmeras digitais e outros produtos estariam contribuindo para a redução, que levou, inclusive, a Sony a não falar em valores previstos pela primeira vez desde 2016.

Enquanto os dispositivos de venda direta vem apresentando quedas recorrentes, a empresa continua direcionando sua atuação para negócios lucrativos como a linha PlayStation, que deve contribuir com grandes números, principalmente, durante a pandemia, e o saudável segmento de sensores para câmeras de smartphones. Ao mesmo tempo, há bons olhos para os setores de entretenimento e, principalmente, cinema, apesar de a pandemia do novo coronavírus ser motivo para esperar uma grande, mas pontual, queda nesse setor.

Fonte: Daniel Reenlsober (Twitter)

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.