SES lança nesta quinta satélite para expandir conexão na América Latina

Por Rafael Romer | 30 de Março de 2017 às 15h20

A SES, empresa do setor de telecomunicações por satélite baseada em Luxemburgo, se prepara para colocar em órbita seu novo satélite SES-10 nesta quinta-feira (30).

O lançamento é bastante esperado não só pela companhia, mas pela própria indústria espacial. Isso porque, se tudo ocorrer como o esperado, o lançamento será o primeiro a empregar um foguete reutilizado para colocar um satélite em órbita – o que tem um potencial considerável de baratear o custo do processo.

A missão será realizada pela empresa de transporte espacial SpaceX, do empreendedor Elon Musk, que levará o SES-10 à órbita em um Falcon 9 reutilizado. O foguete sairá do complexo da NASA Kennedy Space Center, na Flórida, e tem decolagem prevista para às 19h30 de hoje (horário de Brasília).

Apesar dos riscos da missão e do histórico de acidentes de alguns Falcon 9, a SES se diz confiante no lançamento do novo satélite a partir de um foguete já utilizado anteriormente pela SpaceX. Segundo Jurandir Pitsch, vice-presidente de vendas da SES para a América Latina Sul, o foguete reutilizado só traz mais segurança à empresa, por já ter provado que é capaz de decolar e retornar de uma missão com segurança.

"Estamos bem tranquilos, houve um trabalho intenso para entender os riscos do foguete reutilizado, mas a emrpesa entendeu que não havia riscos maiores do que um lançamento tradicional", comentou o executivo. Os investimentos para o lançamento, no entanto, não foram revelados.

Expansão na América Latina

Para a SES, o satélite reforçará o suporte de banda para vídeo e dados na região, avançando sua estratégia de crescimento na América Latina – que observou uma expansão de negócios para a SES de 2% nos últimos doze meses.

O lançamento faz parte do novo pacote de investimentos anunciado pela companhia no ano passado, que injetará US$ 800 milhões na região para os próximos dois anos para ampliação da cobertura de satélite da SES no continente. Além do SES-10, os investimentos incluem também o lançamento do SES-14, um satélite focado no mercado brasileiro.

O SES-10 substituirá o atual AMC4 e ficará posicionado a 67 graus oeste, sob um acordo com a Comunidade Andina (Bolívia, Colômbia, Equador e Peru). Além de expandir a capacidade de oferta de banda da empresa para possíveis novos clientes, o satélite será utilizado para aplicações governamentais na região e permitirá suportar melhor parceiros atuais da empresa, incluindo a Mediaworks, subsidiária satelital do grupo Telefónica.

O AMC4, por sua vez, será reposicionado para a América do Norte, reforçando a operação da SES no setor de conectividade de bordo em aviões.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.