Será que a Faraday Future, concorrente da Tesla, está mentindo?

Por Redação | 25 de Janeiro de 2017 às 14h07
photo_camera Reprodução

Nos últimos meses, a chinesa Faraday Future ficou em evidência como a possível grande concorrente da Tesla Motors. Depois de sua apresentação na CES 2017, a empresa aumentou o hype a divulgar número animadores sobre o seu primeiro carros elétrico esportivo, http://www.businessinsider.com/faraday-future-money-problems-electric-car-nevada-sources-2017-1o FF-91. Entretanto, parece que as coisas não foram tão honestas assim.

Fontes revelaram ao site Business Insider que os números de reserva do FF 91 não refletem a realidade na Faraday. A companhia disse ter registrado 64,1 mil reservadas de pré-venda para o veículo. Por outro lado, as fontes afirmaram que apenas 60 clientes efetivaram o pedido ao fazer o depósito de US$ 5 mil.

Levando em consideração o baixo número de depósitos realizados, a Faraday Future não faturou mais do que US$ 300 mil para iniciar a produção de de seu carro - e vale lembrar que seu custo final é de US$ 180 mil. Ou seja, não conseguiu financiamento equivalente ao preço de dois de seus carros.

Segundo a publicação norte-americana, as coisas podem se complicar ainda mais. A Faraday Future foi processada por não ter feiro o pagamento pela montagem de sua apresentação no evento em Las Vegas. A companhia de efeitos visuais Mill Group colocou a fabricante na justiça para cobrar os US$ 1,82 milhões devidos pela empresa chinesa.

Vale lembrar, inclusive, que durante a sua apresentação na CES o FF-91 apresentou problemas técnicos, o que fez muita gente torcer o nariz para o produto.

Nos últimos meses, a empresa passou por dificuldades e cortes em seu quadro de funcionários, com o CEO Jia Yueting chegando a diminuir seu próprio salário. Para completar, investidores deixaram o projeto devido a problemas financeiros.

Mesmo assim, o plano da Faraday continua, pelo menos por enquanto. O FF-91 promete entregar motor elétrico quadruplo alimentado por baterias de 130 kWh e terá uma aceleração de 0 a 100 km/h em 2,9 segundos, de acordo com a empresa.

Agora, para os que esperam uma concorrente da Tesla no mercado de carros elétricos esportivos, o que resta é esperar. Neste meio tempo a Tesla está remodelando seu software de direção autônoma, envolvido em acidentes no ano passado, assim como prepara a abertura de novas fábricas, de olho em aumentar sua capacidade de produção e começar as entregas de seu Model S, carro de preço mais econômico e que teve cerca de 400 mil pedidos no ano passado, segundo a companhia de Elon Musk.

Fonte: Business Insider

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.