Sem alarde, Google expande atuação do Waze Rider, seu concorrente do Uber

Por Redação | 30 de Setembro de 2016 às 12h23

Você sabia que o Google está trabalhando num aplicativo para rivalizar com o Uber? Pois é, a companhia de Mountain View vem agindo de mansinho e, aos poucos, está expandindo a oferta do Waze Rider. Nesta sexta-feira (30), por exemplo, o programa piloto desembarcou, sem alarde, em São Francisco, Califórnia.

O serviço, como dá para perceber pelo nome, utiliza a plataforma do Waze e, por ainda estar em testes, só permite que o usuário solicite corridas de casa para o trabalho e vice-versa. Apesar de a proposta se assemelhar bastante à apresentada pela Uber e pela Lyft, há algumas diferenças além da limitação do percurso.

A primeira delas é que os motoristas parceiros das rivais atuam de maneira semelhante a taxistas, levando os passageiros para onde eles quiserem. No Waze Rider isso é diferente. A proposta do Google é fazer com que ele funcione mais como um app de caronas, casando o percurso do motorista com o local para onde o passageiro quer ir.

Além disso, o Google está limitando a duas a quantidade de vezes que o usuário pode solicitar uma corrida, de maneira que ele funcione mesmo somente para levar a pessoa para o trabalho e trazê-la de volta para casa.

Finalmente, a tarifação é mais baixa que a concorrência - e os ganhos do motorista também são menores. A empresa explica que essa decisão foi tomada porque a ideia é que as pessoas não façam do Waze Rider um meio de vida, mas consigam tirar um dinheirinho a mais sem sair de sua rotina.

Mesmo assim, como estamos falando de um projeto piloto, é possível que o Google altere a forma de funcionamento do aplicativo diante da receptividade do público. Falando nisso, um repórter do Wall Street Journal testou a solução de Mountain View e constatou que ainda são necessários vários ajustes.

Entre as falhas apresentadas, o jornalista não conseguia ver aonde estava o motorista antes de ele buscá-lo. O motorista, por sua vez, não conseguia usar o Waze enquanto dirigia, já que o app aparentemente fica travado no local de destino do passageiro.

Será que o Waze Rider vai pegar? Qual a sua opinião? Conta para gente nos comentários aqui embaixo.

Via The Wall Street Journal

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.