Sean Parker, criador do Napster, deixa diretoria do Spotify

Por Redação | 22.06.2017 às 11:48
photo_camera Divulgação

Sean Parker, criador do Napster, está deixando o quadro de diretores do Spotify. Uma das figuras mais reconhecidas – e controversas – do mundo da música digital era um dos executivos-chave da companhia desde 2010, depois de investir US$ 15 milhões no serviço de streaming, tornando-se dono de uma parcela de 5% dele.

Agora, Parker retém essa propriedade, mas deixa o quadro de diretores no que seria uma preparação para a abertura de capital do Spotify. A ideia é que as ações da companhia comecem a ser negociadas ainda neste ano, com ela procurando um perfil de maior solidez e que demonstre sua nova postura uma vez que se tornará uma companhia pública.

O fundador do Napster foi considerado um dos principais nomes da plataforma nos anos recentes, tendo ajudado não apenas na expansão internacional do Spotify, mas também na transformação dos EUA no principal mercado do serviço. Ironicamente, ele também esteve por trás de acordos entre a plataforma, gravadoras e artistas, que mitigaram muitas das críticas contra elas e melhoraram o pagamento para músicos.

Vale lembrar que, no passado, ele foi duramente atacado pelos motivos inversos, tendo criado, justamente, um aplicativo que permitia o compartilhamento livre de arquivos musicais. O Spotify não falou no assunto e nem mesmo confirmou a saída de Parker, mas a ideia é que, ao deixar o conselho de diretores, ele permite que a companhia se afaste justamente desse caráter.

Em compensação, outros quatro nomes de peso passam a integrar o quadro de diretores. Um dos principais executivos recém-chegados é Thomas Staggs, que trabalhou na Disney por mais de 15 anos e, antes de deixar a empresa, era seu diretor de operações.

Do campo da tecnologia vem Padmasree Warrior, também após anos na Cisco, onde atuou como diretora de operações e CTO. Ela também é CEO da NIO, do ramo de carros elétricos. Shihir Mehrotra, ex-executiva do YouTube que chega ao quadro de diretores após três anos como conselheira, e Cristina Stenbeck, investidora sueca que também apostou no Spotify, completam o time de estreantes.

Os documentos com relação à troca de cadeiras na companhia foram registrados junto às autoridades de Luxemburgo e obtidos pela imprensa. No total, são nove membros no conselho de diretores do serviço, incluindo seu atual CEO, Daniel Ek, que também foi o cofundador da plataforma.

A expectativa é que o Spotify realize sua abertura de capital da metade para o final do segundo semestre deste ano. A empresa tem um valor de mercado na casa dos US$ 13 bilhões, com um recente levantamento de capital de nada menos do que US$ 1 bilhão já sendo encarado como mais um passo rumo ao IPO.

Fonte: TechCrunch