Samsung trabalha em baterias e sensores de câmera mais potentes para celulares

Por Redação | 26 de Maio de 2015 às 14h35
photo_camera Divulgação

Que a Samsung é uma das maiores empresas do mundo no mercado de smartphones, isso todo mundo já sabe. O que pode passar batido para muita gente é que, além de produzir os vários modelos próprios da linha Galaxy, a companhia é referência quando o assunto é fabricar componentes específicos, como displays, sensores e outras peças de hardware — inclusive para outras empresas.

De olho nas próximas gerações de dispositivos móveis, a sul-coreana anunciou nesta segunda-feira (25) seus mais recentes avanços nos itens internos que irão equipar as futuras versões de tablets e smartphones. E a boa notícia é que um mal que persegue esses aparelhos pode ser melhorado de forma significativa: as baterias, que poderão ser fabricadas com densidades energéticas e voltagens mais elevadas.

No campo das baterias, o último lançamento da empresa é uma unidade que possui densidade de 700 Watts-hora por litro (Wh/L). Este número deve aumentar para 750 Wh/L até o final de 2015, e saltar para 780 Wh/L em 2017. Para efeito de comparação, os celulares inteligentes mais modernos lançados em 2013 tinham apenas 580 Wh/L.

Na prática, isso significa que nossos próximos gadgets poderão obter maior produção de energia a partir da mesma unidade de volume de uma bateria física, que continuará do mesmo tamanho, só que com mais poder de fogo. Outro item que está sendo estudado pela companhia é a voltagem dessas unidades de energia, que deve alcançar medidas de 4,4 volts até o final deste ano e chegar a 4,5 volts até 2017. Lembrando que, quanto maior for a voltagem, maior será a duração de bateria.

Além disso, a entidade mencionou esforços para aprimorar a tecnologia de carregamento dessas baterias. De acordo com a empresa, engenheiros e desenvolvedores têm trabalhado para permitir que o usuário carregue seu tablet ou smartphone o mais rápido possível. Colocando em números, a companhia quer que os próximos dispositivos móveis consigam ter pelo menos 80% de sua carga restabelecida em no máximo 30 minutos.

Câmeras

Fora as baterias, outro componente bastante pesquisado pela Samsung são os sensores das câmeras fotográficas. A sul-coreana afirma que está desenvolvendo um sensor RWB, sigla que corresponde a "red, white and blue" ("vermelho, branco e azul") e que descreve o padrão de cor presente no sensor da câmera, o que supostamente fornece "melhor fidelidade de cores" para as fotos.

A fabricante também alegou que pretende reduzir o tamanho de seus pixels dos atuais 1,12 micrômetro, presente nas câmeras de 16 MP, para 1 micrômetro. Dessa forma, a companhia espera reduzir a espessura de seus sensores em até 23%, o que permitiria a fabricação de smartphones ainda mais finos.

É importante destacar que, apesar das pesquisas com esses componentes já estarem a todo vapor e até a própria Samsung confirmar que o trabalho com as tecnologias está em ritmo acelerado, é provável que ainda demore um tempo é que essas novidades finalmente cheguem ao consumidor final. O prazo para finalização desses recursos é 2017, ou seja, dificilmente veremos aparelhos equipados com as novas peças antes dessa data.

Fonte: Phone Arena

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.