Samsung teria iniciado produção de chips para o Galaxy S7

Por Redação | 10.11.2015 às 16:57

Rumores vindos diretamente da China indicam que a Samsung iniciou nesta semana o processo de fabricação do Exynos 8890, seu novo processador proprietário que deve ser o coração do Galaxy S7. O chip deve estar no centro das versões do smartphone voltadas para o mercado asiático, enquanto os ocidentais receberão o dispositivo com o Snapdragon 820, da Qualcomm.

Desenvolvido com um processo de 14 nm, que garante o máximo possível de eficiência energética e redução de tamanho que a companhia é capaz de trazer, o novo processador deve ser o mais poderoso já criado pela Samsung. A expectativa é de um componente com oito núcleos e 2,4 GHz de capacidade, com desempenho equivalente a outras opções disponíveis pelas mãos de empresas parceiras.

Originalmente, a fabricação do Exynos 8890 estava prevista para começar em meados de dezembro, mas o adiantamento indica que a Samsung ou tem pressa, ou está confortável com os prazos de entrega de seu próximo topo de linha. Os rumores sobre o início do processo também já estão fazendo muita gente pensar que a revelação do Galaxy S7 também pode acontecer antes, ainda neste ano, quem sabe, com um adiantamento também do lançamento, esperado para fevereiro de 2016.

Por outro lado, deve-se levar em conta os recentes rumores de que a Samsung estaria ajudando a Qualcomm a resolver os problemas de superaquecimento que estariam ocorrendo no Snapdragon 820, repetindo os defeitos do ano passado. Desta vez, porém, a empresa utiliza o mesmo processo de 14 nm da marca coreana, o que motivou a mudança de abordagem, já que anteriormente, o “dragão” foi simplesmente abandonado em prol do Exynos, para evitar falhas pós-lançamento.

Sobre esse assunto e outros, claro, a Samsung não se pronunciou, e a expectativa é que o mesmo não aconteça na próxima geração do Galaxy. O adiantamento na fabricação, porém, pode indicar uma medida de segurança, que evitaria um atraso no lançamento que poderia tornar ainda mais complicada a situação já sensível da marca coreana no mercado de smartphones.

Fonte: Phone Arena