Samsung retoma vendas do Galaxy Note7 na Coreia do Sul

Por Redação | 04 de Outubro de 2016 às 06h58
photo_camera Divulgação/Samsung
Tudo sobre

Depois de dar muita dor de cabeça à Samsung, o Galaxy Note7 começou a ser revendido na Coreia do Sul no último fim de semana. Após inúmeros relatos de explosões, a fabricante confirmou que o aparelho voltou a aparecer nas prateleiras do país e, aparentemente, os problemas relacionados à bateria foram solucionados.

Numa tentativa de apagar a mancha causada pelos incidentes, a sul-coreana preparou ilhas de teste para que os consumidores possam pôr as mãos no aparelho e conferir suas funcionalidades. A novidade, segundo Junghyun Kim, gerente de uma das lojas da marca em Seul, atraiu várias pessoas, que lotaram as ilhas de teste para conferir principalmente o funcionamento da nova S Pen, o S Translator e a nova câmera do phablet.

Ilhas de teste foram colocadas em vários shoppings na Coreia do Sul e atraíram consumidores curiosos

Ilhas de teste foram colocadas em vários shoppings na Coreia do Sul e atraíram consumidores curiosos (Imagem: SamMobile)

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O relançamento foi traduzido em números e vem sendo considerado bem-sucedido pelo portal SamMobile, especializado na marca sul-coreana. De acordo com o site, mais de 45 mil unidades do Galaxy Note7 foram vendidas no fim de semana passado. Apesar do bom desempenho, a companhia sul-coreana continua reforçando o alerta e pedindo que quem ainda não trocou o Note7 defeituoso o faça o quanto antes, já que o recall ainda está valendo nos países em que o smartphone foi lançado.

Falsos relatos

Apesar dos esforços para fazer com que tudo transcorra bem daqui para frente, a Samsung ainda está tendo de lidar com falsos relatos de unidades substituídas defeituosas. Ela garante que os Note7 entregues aos usuários que trocaram o aparelho têm um tipo diferente de bateria e os supostos incidentes foram "induzidos" pelos consumidores.

Tanto é que a SGS, especializada em inspeção, verificação e certificação, foi contratada para analisar esses casos e dar um veredito sobre eles. Num dos casos mais recentes, por exemplo, foi constatado que o usuário aplicou uma carga elétrica extra diretamente na bateria, de maneira a fazê-la explodir de propósito.

É o tipo de caso que, daqui em diante, a Samsung deixará nas mãos da SGS. Afinal de contas, a sul-coreana também confirmou que retomará as vendas também em outros mercados nas próximas semanas.

Via SamMobile (1) (2)

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.