Samsung pode começar a vender smartphones usados no próximo ano

Por Redação | 22 de Agosto de 2016 às 09h50

Uma fonte ligada à Samsung afirmou que a empresa está planejando lançar um programa de venda de smartphones usados já no próximo ano. Os dispositivos recondicionados viriam do programa de atualização anual da empresa em mercados como a Coreia do Sul e Estados Unidos. Com o crescimento do mercado de smartphones já não é o mesmo a nível global, a estratégia de comercializar dispositivos remodelados poderia ajudar a Samsung a reduzir seus custos e a manter uma margem operacional acima de 10%.

Além disso, a estratégia poderia ajudar a companhia a aumentar sua presença em mercados emergentes, como na Índia, onde os dispositivos topo de linha custam US$ 800 e são limitados a poucos compradores. Além disso, vender smartphones premium por preços menores daria um novo fôlego à concorrência com dispositivos de baixo custo de rivais chinesas, que abocanharam parte de seu mercado ao longo dos últimos anos.

A fonte, que preferiu não se identificar, não informou qual será o preço que os smartphones usados serão comercializados. Também não está claro até que ponto os dispositivos serão modificados e se o processo de remanufatura envolverá apenas a troca da carcaça e da bateria ou se novos componentes seriam substituídos.

De acordo com o BNP Paribas, um dispositivo topo de linha da série Galaxy retém apenas 51% do seu valor original após um ano, o que é um negócio atraente para os consumidores que desejam adquirir um bom dispositivo a baixo custo. O rival iPhone tem um valor de revenda de cerca de 69% após um ano de lançamento.

Apesar da estratégia da Samsung poder aumentar as vendas de smartphones e do possível interesse dos consumidores, especialistas acreditam que vender dispositivos usados poderia levar a empresa a canibalizar seus próprios produtos. Ao disponibilizar dispositivos usados com boa qualidade e preço menor, os novos modelos intermediários poderiam sofrer uma forte queda nas vendas, o que certamente reduziria a margem de lucro da empresa, apesar de poder representar um volume maior na quantidade de aparelhos vendidos.

Fonte: Reuters

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.