Samsung perde mercado, mas volta a ser a maior fabricante de smartphones

Por Redação | 29 de Abril de 2015 às 11h09

A antecipação por um novo aparelho e a redução natural na empolgação por um de seus principais rivais fez muito bem à Samsung neste primeiro trimestre de 2015. De acordo com relatório financeiro divulgado nesta terça-feira (28), a fabricante sul-coreana retomou a primeira posição como a maior fabricante de smartphones do mundo, tomando uma fatia de 24% do mercado entre os meses de janeiro e março deste ano.

Segundo os números revelados pela companhia, 83,2 milhões de aparelhos foram colocados nas lojas durante o período. Vale a pena citar que isso não necessariamente implica em unidades vendidas, mas demonstra uma alta demanda e disponibilidade de smartphones da marca no mercado. Enquanto isso, a Apple, principal rival no segmento, ficou com 17,7% do market share e 61,2 milhões de unidades presentes nas prateleiras.

É uma ótima notícia para a Samsung, que, ao mesmo tempo em que se via em meio a problemas de fabricação e críticas quanto à similaridade entre o Galaxy S5 e seus antecessores, enfrentava a popularidade absurda do iPhone 6 e seu irmão de tela maior, o Plus. Tudo isso sem falar, claro, da ameaça cada vez maior dos pequenos fabricantes em mercados asiáticos, fatores que, quando combinados, motivaram mudanças estratégicas e de posicionamento para a companhia que, aparentemente, deram certo.

Apesar disso tudo, nem tudo são flores. Como já comentam os analistas há algum tempo, houve queda geral na participação de mercado de grande parte das empresas do setor. A Samsung pode até ter recuperado a liderança, mas os 24% de market share que possui também representam uma redução de 31% em relação à sua posição no mesmo período do ano passado.

Aqui, apenas a Apple não precisa se preocupar, já que os 17,7% de presença no mercado representam uma queda esperada em relação aos 19,6% que foram registrados no final do ano passado, quando o iPhone 6 estava em seu auge. Em relação ao primeiro trimestre de 2014, os números apresentam uma ligeira queda de pouco mais de 2%.

Quanto às outras companhias, elas estão longe o suficiente em termos de participação no mercado e nem chegam a incomodar os competidores na liderança. A Lenovo aparece em terceiro lugar, com 5,4% de participação no mercado, seguida de perto pela Huawei, com 5%.

Um lado compensa o outro

Para os próximos períodos, a Samsung prevê ainda mais altas relacionadas à chegada do Galaxy S6 ao mercado. No relatório financeiro, a companhia evitou falar em números, mas disse que as vendas do novo smartphone devem bater recordes históricos, principalmente devido ao fato da demanda estar sendo maior que a capacidade da companhia de supri-la.

Esse aspecto é fundamental para a Samsung, já que um crescimento e fortalecimento da divisão mobile não apenas solidifica sua presença no topo do ranking, mas também pode acabar compensando o desempenho abaixo da média de outros setores. É o caso, por exemplo, da divisão de TI e mercado corporativo, que teve queda de 57% entre janeiro e março.

Fontes: Samsung, CNET

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.